Em protesto contra Raduan Nassar, Michel Temer ameaça voltar a escrever poesias

17fev2017_17h30

PASÁRGADA – Aviltado com o discurso proferido pelo escritor Raduan Nassar ao ser agraciado com o prêmio Camões, Michel Temer respondeu de forma dramática. “Se Raduan fizer mais alguma colocação obtusa, prometo lançar um novo livro de poemas”, avisou. A ameaça de Temer provocou queda de 12 pontos na Bovespa e alçou o Risco Brasil a níveis estratosféricos. Mais de oito pessoas foram hospitalizadas quando confrontadas com a advertência presidencial.

Não satisfeito, Temer apresentou evidências de que o escritor praticou pedaladas gramaticais no romance Lavoura Arcaica. “Trata-se de um crime hediondo. Segundo a Constituição, Raduan deverá sofrer impeachment e eu, em decorrência, deverei ser proclamado vencedor do prêmio Camões”, explicou.

Para provar que ainda está em forma como bardo, Temer divulgou dois poemas à moda de Drummond:

Quadrilha
Michel blindava Alexandre que blindava Romero
que blindava Machado que blindava Renan que blindava Moreira que blindava Eduardo
que não blinda mais ninguém.

Michel foi para o Alvorada, Alexandre para o STF
Romero fez pacto com Machado, Renan ficou impune
Moreira ganhou foro privilegiado e Eduardo não tem mais nada a ver com a história.

Poema de 666 Faces
Quando nasci, um anjo caído
desses que vivem nas trevas
disse: Vai, Michel! ser gauche na vida.

Mundo mundo vasto mundo
se me chamasse Raimundo
eu seria uma rima, não alvo de delação.
Mundo mundo vasto mundo
mais vasta é minha dissimulação.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas essa chalana
botam a gente comovido como o diabo.