Palocci pede prisão domiciliar para delatar inventor de tomada de três pinos

02jun2017_16h45

CANTINA DA PAPUDA – O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci tentou negociar, em acordo de delação premiada, que sua pena fosse cumprida em um ano de prisão domiciliar e que seus depoimentos focassem em banqueiros, empresários, doleiros, traficantes, grileiros e pedófilos, além dos ex-presidentes Lula e Dilma. A Procuradoria Geral da República e a Força Tarefa da Lava Jato, porém, entenderam que um operador da estatura de Palocci poderia entregar mais.

Os investigadores solicitaram, então, que o ex-ministro entregasse uma misteriosa figura conhecida como “Inventor”, supostamente responsável por conceber a tomada de três pinos e atuar por sua obrigatoriedade. Preso desde setembro de 2016 e desequilibrado pela péssima qualidade do molho de tomate das refeições servidas aos detentos, Palocci decidiu atender à solicitação.

O historiador Marco Antonio Villa está entre aqueles que receberam a mudança de padrão com irritação. Segundo ele, o PT criou um esquema para arrecadar fundos com a venda de adaptadores de tomada e, assim, engordar os cofres da última campanha de Dilma. “Ter três pinos em vez de dois torna os eleitores mais propensos a votar no 13 do PT”, denunciou Villa numa de suas 83 intervenções diárias na rádio Jovem Pan. “Trata-se do crime eleitoral perfeito”.  

Arquivo
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.