FLIP é cancelada após terroristas ameaçarem recitar poemas de Temer

28jul2017_20h33

PARATY – Se em 2016 a Festa Literária de Paraty foi marcada pelos protestos contra o impeachment da ex-presidente Dilma Roussef, a edição deste ano entrará para a história como aquela cancelada graças a ameaça de um atentado envolvendo Michel Temer, atual presidente da República.

Na manhã desta sexta-feira, os organizadores do evento receberam uma carta comunicando a realização de um jogral de poemas de Anônima Intimidade, último livro de poesia de Michel Temer, às 19 horas na Praça da Matriz. Embora tenha sido iniciada com a epígrafe latina ‘Verba volant scripta manent’, não há pistas a respeito da autoria da missiva. Um dos presentes desmaiou.

Na noite de ontem, o clima de apreensão tornou-se palpável quando os frequentadores se depararam com uma livraria oficial completamente preenchida por diversos livros de Augusto Cury, como Petrus Logus – O Guardião do Tempo, e Nunca Desista dos seus Sonhos. A seção dedicada a intelectuais negras foi poupada da invasão das obras do autor paulista, embora o nome de todas as autoras tenha sido substituído pelo de Alexandre de Moraes, ex-ministro da Justiça do Governo.

Alegando o uso de “armas de efeito imoral”, a organização do evento se viu obrigada a cancelar a festa.