Improdutivas, perucas de Eike são invadidas por MST

07ago2017_17h25

ELDORADO DOS CARECAS – Ao ser preso no complexo penitenciário de Bangu, Eike Batista solicitou aos agentes penitenciários que raspassem a sua peruca. Perguntaram-lhe por que ele simplesmente não retirava o acessório, preso ao couro cabeludo por uma cola especial. Grave, o empresário respondeu que sempre sonhara em ter o seu momento “Carolina Dieckmann em Laços de Família”.

Desde então, Batista tomou gosto pelo visual “meio Sigourney Weaver, meio Esperidião Amin em Alien”, exibindo-o mesmo ao ser transferido para a prisão domiciliar. Na manhã desta segunda-feira, João Pedro Stédile, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), ocupou dezenas de hectares de perucas do empresário carioca que se encontravam armazenadas em hangares em Curicica. “Cabelo improdutivo é cabelo a serviço do imperialismo”, bradou Stédile, enquanto acomodava em sua própria cabeça um modelo “viking”.

Num vídeo gravado logo após a ocupação, integrantes do movimento cobertos por vastas cabeleiras anunciaram a inclusão de um “X” ao nome do grupo.