Temer e Gilmar Mendes casam-se fora da agenda

10ago2017_19h34

PORÕES DO JABURU – Na madrugada desta quinta-feira, alianças de peso se firmaram no primeiro escalão da República. Após muito anos de relacionamento – entre idas e vindas – Michel Temer e Gilmar Mendes houveram por bem oficializar a convergência de seus interesses num casamento. O ministro do STF desceu ao porão do Palácio do Jaburu ao som da canção ‘A Loba’, de Alcione, e recebeu Michel dos braços da ex-primeira-dama Marcela Araújo. Com os olhos marejados, declarou: “se é para a miséria do povo e infelicidade geral da nação, digo ao povo que me desquito”.

Os presidentes das casas legislativas Rodrigo Maia e Eunício Oliveira foram convocados como testemunhas do matrimônio. Concordaram em testemunhar com a condição de de ficarem cada um com 15% do dote oferecido pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral ao presidente da República, isto é, 6 pedidos de vista em quaisquer processos em tramitação no Supremo, bem como três habeas corpus. O primeiro-cavalheiro achou excessivamente onerosos os termos, e sugeriu, em contrapartida, duas cascatas de camarão e três dúzias de brigadeiros de colher. Maia fechou o negócio imediatamente, indagando apenas se era pronta entrega ou delivery.

A futura Procuradora-Geral Raquel Dodge foi a última a chegar. Indagada se não percebia promiscuidade no casamento dos líderes de dois poderes, respondeu que “muito pelo contrário! Estamos reestabelecendo os laços institucionais”. Ademais, a jurista acrescentou que “não fará nada mais que celebrar os votos de uma relação que, de qualquer modo, já é considerada união estável pelo Código Civil”.