Ibama inclui temakerias e Yogoberry em lista de espécies em extinção

13out2017_18h58

SHOPPING TIJUCA – “Em 2017, no Brasil, não se pode confiar mais nem no aquecimento global”, afirma Marilda Heck, coordenadora nacional do Ibama para espécies ameaçadas. O comentário da bióloga se refere a um estudo que detectou correlações entre os picos de temperatura registrado em 2007, e o surgimento “epidêmico” de temakerias e lojas de iogurte congelado. Um inverno mais frio, como foi o deste ano, seguido por um verão ameno, pode vir a “extinguir a diversidade nas praças de alimentação. O açaí, que já é hegemônico, vem cooperando com a pitaya, espécie alienígena que pode vir a se tornar uma praga”, afirma a técnica do Ibama.

O extermínio de lojas Yogoberry já é considerado por ativistas de direitos não-humanos como genocídio. Na última quinta-feira, dia mundial o frozen yougurt, militantes da ONG Yogo Esperança acenderam centenas de velas na praia de Copacabana. Para a organização, o iogurte grego concorre em condições desleais às alternativas nacionais. Ao fim do ato, o grupo ateou fogo a uma bandeira da Grécia, por entre lágrimas dos participantes.

“Há um trauma institucional no Ibama referente à quase extinção do coquetel de camarão e dos fios d’ovos no início dos anos 2000”, revela Heck. “Não queremos que isso se repita”, assevera. Como resultado da ação, o Ibama recomendou que o temaki seja incluído na cesta básica e que o BNDES financie uma reestruturação do setor, de modo a criar uma “Friboi temakeira”.