Leonel Brizola teme ser ressuscitado e preso após prisão de Cabral, Rosinha e Garotinho

23nov2017_17h03

ALÉM – “Por fa-vor, dei-xem mi-nha os-sa-da em paz, tchê.” Foi com essa frase, psicografada em dupla por um ministro do STF e um médium gaúcho, que o ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, fez um apelo à força-tarefa da operação Lava-Jato. O apelo veio a público um dia depois que os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus foram presos, passando a compor, com Sergio Cabral, o trio ofensivo do presídio de Benfica.

“Veja bem”, continuou Brizola, na carta psicografada. “É verdade que todo governador do Rio tem esqueleto no armário? Certamente. E é verdade que o avanço da criogenia vai possibilitar a ressurreição num futuro próximo? Com certeza.” Brizola fez então um apelo emocionado. “Mas peço que considerem que aqui no Além não havia Cieps até a minha chegada. E que o Pezão e o Moreira Franco ainda estão vivos.”

Brizola também lembrou, na carta, que ele não é o único ex-governador fluminense a morar no Além. “Mas o Marcello Alencar era do PSDB”, lamentou. “Se o STF não prende nem um Aécio vivo, imagina se vão prender um tucano já morto?”