Gilmar e Toffoli marcam duelo para decidir quem vai soltar José Yunes

29mar2018_15h00
Por via das dúvidas, o ministro Barroso vai trabalhar, nesse dia, com uma toga à prova de balas
Por via das dúvidas, o ministro Barroso vai trabalhar, nesse dia, com uma toga à prova de balas

STF STUDIOS – O imponderável aconteceu. Pela primeira vez na história do Supremo, um forasteiro teve coragem de desafiar a hegemonia incontestável de Gilmar Mendes, a caneta mais rápida do (centro) oeste. O desafiante é o ministro Dias Toffoli, que apesar de novo na arte da pena, já vinha mostrando destreza, nesta última semana, ao conceder habeas corpus aos deputados Paulo Maluf e Jorge Picciani. Agora, Toffoli sonha mais alto: desafiou Gilmar Mendes para ver quem solta o amigão de Michel Temer, o empresário José Yunes.

“É tiro! É toga! É pompa! São os gladiadores do terceira turma do Supremo!”, tem gritado o jurista esportivo Galvão Bueno, que vai narrar o duelo, a ocorrer na próxima semana no octógono do STF. “De um lado Gilmar, o nosso velho Gilmar, o Butch Cassidy do Mato Grosso. De outro o jovem Dias Toffoli, que vem de um card impressionante de duas vitórias impiedosas contra o povo brasileiro!”

Antes do duelo haverá a apresentação de uma banda cover de Legião Urbana, a Acórdão Urbana, cantando uma nova versão para Faroeste Caboclo, clássico do grupo brasiliense. Na letra aparecem versos como “E o ministro não sabia o que fazer, quando viu o repórter na repartição, que deu notícia do duelo na tv, dizendo a hora o local e jurisdição”. A divergência também será transmitida pelo Canal Aparte, a versão jurídica do Canal Combate.