Após pacificar Coreias, Kim Jong-un quer unificar Kim Kataguiri e Kim Kardashian

04maio2018_17h17
A ONU já estuda entrar com uma representação contra o acordo Kimático: “É mais perigoso do que uma série do José Padilha.”
A ONU já estuda entrar com uma representação contra o acordo Kimático: “É mais perigoso do que uma série do José Padilha.”

LÍNGUA DO K – “Será o animal político mais sexy da direita comunista”, explicou o líder norte-coreano Kim Jong-un, depois de anunciar os novos rumos do seu programa nuclear. Pelo acordo recém-firmado com Estados Unidos e Brasil, cientistas dos três países vão unir esforços para construir o Leviatã da política contemporânea. A novidade – que ocorre logo após a aproximação histórica entre as duas Coreias – foi noticiada pelo TMZ e o MBL, dois importantes sites de fofoca.

A notícia veio para dissipar rumores de que a fusão não aconteceria devido a uma suposta tensão entre o líder norte-coreano e o dirigente do MBL. Fontes informam que enquanto Kataguiri exigia a adoção de seu modelo de escola sem partido, Jong-Un pedia o desenvolvimento do modelo de partido sem escola. Ambos negaram a tensão durante encontro em uma boate de propriedade de Kardashian.

“A ideia é fabricar um ser que seja ao mesmo tempo de esquerda, de direita, liberal, ditador, magro, gordo, bundudo, e que tenha uma queda por fake news e cabelos estranhos”, explicou o marqueteiro Kim Mouc-un, cientista-chefe do programa nuclear norte-coreano. “Acreditamos que assim finalmente teremos um monstro capaz de escrever tuítes mais repulsivos que os do Donald Trump.”