A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Reprodução de videoclipe
Reprodução de videoclipe

20 anos em Renato Russo: 165.913 mortos em estradas federais entre 1993 e 2015

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
09.out.2016 | 00h05 |

Na segunda estrofe de “Perfeição” (1993), Renato Russo canta:

Vamos celebrar nossa tristeza

Vamos celebrar nossa vaidade

Vamos comemorar como idiotas

A cada fevereiro e feriado

Todos os mortos nas estradas

Entre 1993 e 2015, morreram 165.913 pessoas nas estradas federais do país – mais do que o dobro da capacidade do Maracanã depois de sua reforma. Em 1993, foram 6.209. No ano passado, o total subiu 19% e chegou a 7,4 mil. O número de feridos é ainda mais chocante. Pulou de 43.083 para 92,8 mil no mesmo período, numa alta de nada menos do que 115%, apontam dados do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Veja checagens de outros versos aqui.

* Mario Luis Grangeia é autor de “Brasil: Cazuza, Renato Russo e a transição democrática” (Civilização Brasileira)

** Esta reportagem foi publicada em 9 de outubro de 2016 pelo jornal Folha de S.Paulo (Ilustrada).

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo