A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Atenção, Facebook! Nós queremos ajudar

por Equipe Lupa
19.nov.2016 | 09h00 |

Agência Lupa e outras 19 plataformas de fact-checking assinaram nesta semana uma carta aberta e endereçada a Mark Zuckerberg, o criador do Facebook. Idealizada pela direção da International Fact-Checking Network, a carta chama atenção do empresário para a importância de disseminar informações verídicas na internet. Também apresenta o desejo expresso de todo o grupo de ajudar a rede social a trilhar esse caminho. No texto, os checadores propõem uma aproximação entre as partes para que seja possível definir critérios claros de identificação de notícias falsas. Leia, abaixo, a íntegra do texto divulgado na quinta-feira (17).

Carta aberta dos fact-checkers a Mark Zuckerberg

Sr. Zuckerberg,

Na semana passada, o senhor escreveu que o problema das notícias falsas e das informações erradas que circulam nas redes é particularmente complexo. Nas suas palavras, “identificar ‘a verdade’ é complicado”. Nós concordamos. E achamos que isso também não deveria ser de responsabilidade exclusiva de uma única empresa.

Como uma rede de organizações independentes de checagem de fatos constituída para promover a correção do debate público em países como África do Sul, Nepal, Argentina e Reino Unido, lidamos com esse desafio diariamente. Nesse sentido, aderimos a um código de princípios comum.

Post com informações mentirosas sobre saúde serviram para incentivar a busca por tratamentos ineficazes e fragilizar campanhas de saúde pública ao redor do mundo. Alegações falsas feitas na internet foram usadas para incitar a violência em países como o Nepal e a Nigéria. Boatos disseminados no Facebook estimularam o linchamento e a morte de uma mulher no Brasil.

Reconhecemos que o Facebook representa uma ferramenta crucial para distribuir informações corretas e que pode ser um instrumento vital para um debate público sadio.

Acreditamos que o Facebook deveria iniciar uma conversa aberta a respeito dos princípios que poderiam sustentar um ambiente de distribuição de notícias mais corretas. A rede internacional de checadores está disposta a participar desse diálogo.

Muitas das nossas organizações já oferecem treinamento em checagem de fatos a veículos de comunicação, universidades e público em geral. Ficaríamos felizes se pudéssemos apresentar ao senhor e aos seus editores maneiras de identificar e derrubar informações falsas.

Também acreditamos que é vital reforçar o papel dos usuários no combate à desinformação. Vários estudos demonstram que, a despeito da ideologia política, as pessoas estão mais dispostas a consumir informações que confirmem suas crenças — mesmo que elas sejam falsas.

O Facebook deveria reforçar a capacidade de seus usuários para identificar publicações mentirosas e notícias falsas, uma vez que o problema é grande demais para ser tratado apenas de cima para baixo.

Ficamos satisfeitos em saber sobre sua preocupação em relação ao potencial viral de notícias falsas. Não temos a presunção de ter todas as respostas para resolver essa questão, mas convidamos o senhor para, com urgência, iniciar uma conversa a esse respeito.

Assinam esta carta:

Africa Check | Agência Lupa | Agência Pública – Truco | Aos Fatos | Colombiacheck | Chequeado | Doğruluk Payı | FactCheck.org | FactCheckNI| Full Fact | Istinomer | Istinomjer | Observador | OjoPúblico | Pagella Politica | PolitiFact | South Asia Check | TheJournal.ie FactCheck | The Washington Post Fact Checker | Turkey and Facts

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo