A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Reprodução de vídeo
Reprodução de vídeo

Ferramenta digital converte som em movimento labial

Fundadora | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
19.jul.2017 | 13h00 |

Para horror dos checadores, o combate às notícias falsas pode ter alcançado um novo patamar. Ainda mais difícil. Enquanto estudavam formas de melhorar a qualidade dos vídeos transmitidos pela internet (em conversas como as de Skype), pesquisadores da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, acabaram desenvolvendo um programa capaz de converter som em movimento labial perfeito. Com isso, conseguiram colocar na boca de pessoas de grande relevância palavras que jamais foram ditas por elas.

Um dos testes foi realizado com o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama. A equipe de pesquisadores de Washington selecionou uma entrevista que ele deu em 1990 e, usando apenas seu áudio, fez com que Obama dissesse exatamente as mesmas palavras num vídeo gravado 25 anos mais tarde. Veja:

Imagine agora se o áudio original embutido no vídeo de Obama não tivesse sido uma frase dita pelo ex-presidente. Imagine se tivesse vindo de Adolph Hitler, Fidel Castro ou um serial killer. Pois é. Por aí vai o receio dos quase 200 membros da International Fact-checking Network (IFCN), que debateram a notícia nos últimos dias.

Em março de 2016, outra revelação parecida já havia sacudido a comunidade de checadores. Pesquisadores da Universidade de Erlangen-Nuremberg, do Max-Planck Institute for Informatics e da Universidade de Stanford haviam anunciado ser capazes de transferir expressões faciais de um ser humano para um vídeo contendo imagens de outra pessoa. O teste acadêmico também foi feito usando um ex-presidente americano como base.

Neste caso foi o republicano George W. Bush. E, no resultado final, ele aparece erguendo as sobrancelhas, torcendo o nariz e fazendo bico sem nunca ter feito esses movimentos na gravação original. Graças a essa tecnologia de ponta, um “Bush-fantoche” apenas refletia os movimentos feitos pelo pesquisador. Veja:

O que mais intriga os fact-checkers, no entanto, é o fato de que, a olho nu, parece impossível identificar que os lábios e/ou as expressões faciais foram manipulados. Será preciso, portanto, um esforço tecnológico para detectar essas alterações.

Mais do que nunca é hora de convocar os especialistas em TI para a luta contra as fake news.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo