A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

Morrem mais PMs no RJ do que nos cinco locais mais violentos do mundo juntos

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.ago.2017 | 10h50 |

100. Este é o total de policiais militares que foram assassinados em 2016 nos estados mais violentos do mundo. É também um número 46% inferior ao registrado pelo Estado do Rio de Janeiro – sozinho – no mesmo período. Em 2016, o RJ teve 146 PMs assassinados. E, em 2017, os dados podem se agravar. Até este mês, 97 policiais militares perderam a vida em território fluminense.

A partir de um estudo publicado em abril pela ONG mexicana Seguridad, Justicia y Paz, que mapeou as 50 cidades mais violentas do planeta, a Lupa fez um levantamento de dados referentes a mortes de policiais. E a conclusão é alarmante: embora a taxa de homicídios do RJ seja menor do que em cidades como Caracas, Acapulco e San Pedro Sula, por exemplo, em território fluminense, morre quase o dobro de PMs.

CARACAS, VENEZUELA

Considerada a cidade mais violenta do mundo, Caracas registrou 76 policiais mortos em 2016, último ano apurado pela Fundación para el Debido Proceso, especializada em acompanhar esse assunto. Lá, a taxa de homicídios é de 130,35 mortos para cada 100 mil habitantes. No Rio, o número é mais baixo. Em 2016, foi de 37,6 para cada 100 mil.

Em toda Venezuela, no ano passado, 414 membros das forças de segurança morreram em todo o país. Nesse cálculo estão computados agentes de segurança privada (escolta), militares e a Guarda Nacional Bolivariana. 28% das vítimas estavam em serviço. Segundo dados da Ordem dos Policiais do Brasil, morreram 499 policiais em todo país no ano passado, sendo 339 PMs. Os dados mais recentes do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, referentes ao ano de 2015, mostram que morreram 358 policiais no Brasil.

DISTRITO CENTRAL, HONDURAS

A capital de Honduras é a quarta pior cidade do mundo em taxa de homicídios: 85,09 para cada 100 mil habitantes. Segundo dados do governo, 13 policiais morreram na região em 2016 (pdf).

VICTORIA, MÉXICO

Victoria ocupa a quinta posição no ranking global de violência: a taxa é de 84,67 homicídios a cada 100 mil habitantes. A cidade fica no estado de Tamaulipas, onde cinco policias foram mortos em 2016, de acordo com dados do governo mexicano. Na conta, eles só consideram os policiais mortos em ações de combate ao tráfico de drogas.

SAN PEDRO SULA, HONDURAS

A cidade hondurenha é a terceira mais violenta do mundo, com taxa de homicídios de 112,09 a cada 100 mil habitantes. O governo de Honduras só disponibiliza dados até 2016, e eles indicam que quatro policiais morreram em todo o ano passado nessa região. 

ACAPULCO, MÉXICO

Acapulco é a segunda cidade mais violenta do mundo, e a taxa de homicídios registrada lá no ano passado foi de 113,24 mortes a cada 100 mil habitantes. Dados do governo mexicano que só levam em consideração os policiais mortos em ações de combate ao tráfico de drogas, mostram que morreram apenas dois policiais em Guerrero, estado onde fica Acapulco.

Leia outras checagens de ‘Estados’ / Outras publicadas neste mês / Volte à home

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo