A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Esclarecimento da Agência Lupa sobre a checagem do terço de Lula

por Equipe Lupa
13.jun.2018 | 17h26 |

“Papa enviou terço a Lula”. Desde a manhã da última terça-feira (12), recebemos, via Facebook, diversos pedidos para checar a frase anterior. Usuários da plataforma nos pediram que trabalhássemos para saber se o Papa Francisco teria realmente enviado um rosário ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba (PR) desde abril. 

Segundo postagens feitas por mais de vinte sites, o argentino Juan Grabois, identificado como consultor do Pontífice, tinha sido impedido de ingressar na Polícia Federal para encontrar o político e lhe entregar o terço. O assunto ganhava tração nas redes sociais.

Durante a tarde do dia 12, o site Vatican News, agência de notícias mantida pela Secretaria de Comunicação da Santa Sé, publicou uma nota negando que o objeto religioso levado por Grabois tinha sido efetivamente enviado pelo Papa a Lula. Segundo o texto, a visita do argentino tinha caráter exclusivamente pessoal, e o objeto havia sido apenas abençoado pelo Pontífice. O mesmo conteúdo foi distribuído pelas redes sociais da agência. Como se tratava de uma fonte oficial do Vaticano, a Lupa e diversos outros checadores do Brasil consideraram que a informação de que o terço teria sido enviado pelo Papa era falsa.

Essa nota, no entanto, foi apagada pela Vatican News – tanto em seu site quanto nas redes – algumas horas mais tarde. Em novo texto, publicado na noite da terça-feira (12), a agência dizia que erros de tradução e transcrição haviam sido identificados na nota anterior e que, ao ser barrado em Curitiba, Grabois queria levar a Lula um terço abençoado, bem como as palavras do Papa. Não afirmava textualmente, no entanto, que esse rosário tinha sido enviado diretamente a Lula por Francisco.

Na tarde desta quarta-feira (13), Grabois publicou uma carta em suas redes sociais contando como foi o encontro dele com o Papa. Disse que o evento ocorreu em maio e que, a seu pedido, o Pontífice abençoara o rosário que seria levado ao ex-presidente.

Desde o dia 12, a Lupa procura contato com a Vatican News e o Vaticano. Espera um posicionamento oficial sobre o ‘envio’ do terço do Papa a Lula – e não apenas a bênção dele. Diante dessa espera, às 16h30 de hoje (13), optamos por alterar a etiqueta inicial aplicada, “falso”, para “de olho”. Trata-se da classificação usada para monitoramentos. Assim sendo, esta passa a ser a classificação da Lupa até que o Vaticano faça um esclarecimento oficial e definitivo sobre o desejo do Pontífice em dar um terço ao ex-presidente.

Por conta dessa alteração, suspendemos também todas as classificações que haviam sido feitas pela Lupa, relativas a esse assunto, no projeto de verificação de notícias do Facebook. Também repassamos à plataforma todas as dúvidas e questionamentos técnicos que recebemos nas últimas horas.

É importante frisar que, desde a publicação da checagem original, a equipe da Lupa sempre esteve à disposição de todos os afetados para publicar eventuais esclarecimentos e atualizar no Facebook as classificações dadas às URLs citadas. Há relatos de que, com base na checagem feita pela Lupa, jornalistas foram atacados nas redes sociais. Repudiamos qualquer tipo de ação neste sentido. O diálogo tem transcorrido de forma tranquila e profissional com todos eles – e assim será mantido. 

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo