A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Ricardo Stuckert
Foto: Ricardo Stuckert

#Verificamos: Texto viral que diz que ‘classe média está de partida’ não foi escrito por Chico Buarque

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.out.2020 | 17h34 |

Circula pelas redes sociais que o músico e escritor Chico Buarque teria escrito um texto intitulado “A classe média está de partida”. O artigo fala sobre um momento de incerteza para essa classe social, que precisa se despedir de seus bens materiais e outros itens importantes, como o plano de saúde. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“A classe média afivelou as malas. Vai fazer uma longa viagem e não sabe se volta (isso, se puder retornar!). Ela parte deixando para trás a ilusão que pertencia a elite e que imitando hábitos e trejeitos de uma casta superior poderia posar de rica. Se despede do apartamento de três quartos financiado na zona nobre da cidade. Na garagem fica o carro bacana com as prestações atrasadas. Adeus ao sonho de ver o filho formado fazer uma pós-graduação no exterior. Ela embarca com a incerteza de adquirir a aposentadoria e sem saber se vai continuar a pagar o plano de saúde da família. Esse momento exige desapego dos mimos das grifes importadas, dos jantares creditados nos cartões, das viagens internacionais. A viagem de agora é pra ‘não sei pra onde’. A classe média tem um semblante de esposa traída, bem pior, o ex-marido já mantinha um casamento oficial, anterior ao dela. Muito duro. Difícil de acreditar. (…)”
Texto atribuído ao músico Chico Buarque que, até às 17h do dia 6 de outubro de 2020, tinha sido compartilhado por mais 600 pessoas no Facebook 

FALSO

O texto analisado pela Lupa não foi escrito por Chico Buarque. Na verdade, a obra “A classe média está de partida” é de autoria do escritor baiano Zuggi Almeida, que divulgou seu trabalho no Facebook em outubro de 2016. Desde 2019, o texto começou a circular pelas redes sociais como sendo de autoria de Chico Buarque – e voltou a viralizar em outubro de 2020. Usando seu perfil na rede social, Almeida desmentiu o boato e disse que era o autor do texto.  

“Ao acordar na manhã desse domingo recebi uma msg de um amigo querendo saber se um texto publicado nas redes sociais era da minha autoria ou numa referência fake, ao maioral Chico Buarque. Aproximar a minha criação à obra grandiosa do autor de ‘Construção’ de certo modo infla o ego, se não fosse uma mentira. A publicação ‘A Classe Média Está de Partida’ você encontra na minha página no Facebook”, escreveu Almeida, no ano passado.

Procurada, a assessoria de imprensa de Chico Buarque também negou a informação que circula pelas redes sociais. “O texto claramente difere dos de Chico em estilo, forma e conteúdo”, afirmou

Essa informação também foi verificada pelo Boatos.org e pelo Estadão Verifica.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌
projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo