A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que polícia do Amazonas prendeu cabos eleitorais de David Almeida com R$ 46 mil em espécie

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
29.nov.2020 | 15h21 |

Circula pelas redes sociais que cabos eleitorais do candidato à prefeitura de Manaus David Almeida (Avante) teriam sido presos em flagrante com uma quantia de R$ 46 mil, no bairro de Jorge Teixeira, na capital amazonense. Segundo a publicação, os envolvidos teriam sido encaminhados para uma delegacia e deveriam responder a processo na Justiça por crime eleitoral. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Nota à imprensa

Polícia Civil PC – AM acaba de realizar a prisão em flagrante de cabos eleitorais do candidato David Almeida com uma quantia de 46 mil reais fazendo compra de votos no bairro Jorge Teixeira.

Os envolvidos foram encaminhando-se à delegacia para ser lavrado o flagrante e responder processo criminal na justiça por crime eleitoral”

Texto publicado no Facebook que, até 14h30 do dia 29 de novembro de 2020, tinha recebido mais de 200 interações

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A Polícia Civil do Amazonas negou, em sua página no Facebook, que tenha emitido qualquer nota oficial confirmando a suposta prisão de cabos eleitorais de um candidato à prefeitura de Manaus. “A informação da prisão não é verdadeira. Trata-se de uma notícia falsa”, diz a publicação.

As imagens que circulam junto ao falso comunicado da Polícia Civil do Amazonas são versões adulteradas dos registros de uma ação que ocorreu ontem (28), em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). De acordo com o jornal O Globo, a Polícia Civil do Ceará apreendeu cerca de R$ 600 mil em espécie. Parte da quantia estava escondida em cueca e em sacolas. Foram detidos o irmão do prefeito e candidato à reeleição Naumi Amorim (PSD), Miguel Carolino de Amorim, além de quatro secretários municipais. 

Eles foram encaminhados à sede da Polícia Federal, em Fortaleza, ouvidos e liberados. Em nota, a coordenação da campanha do prefeito disse que “aguarda o resultado dos procedimentos adotados pelas autoridades competentes e que mantém-se absolutamente tranquila e disposta a colaborar com as investigações”. A PF confirmou as informações, mas não revelou partidos e candidatos ligados aos homens que foram detidos. 

Nas imagens verdadeiras relativas à ação policial, que também aparecem em vídeo publicado pelo jornal O Povo Online, um dos homens abordados pela Polícia Civil do Ceará está com um adesivo azul e amarelo na camisa. Nas montagens, que circulam nas redes sociais juntamente com a nota falsa da Polícia Civil do Amazonas, o adesivo tem as cores branca, laranja e azul, usadas pela campanha do candidato David Almeida (Avante). 

Nota: esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo