cartas

Afagos e ralhas

ARMANDO OFUSCADO

Puxa vida! O texto do Tom Zé é estupendo. A gente lê tanta coisa em escrita plana, com linguagem de relatório, que quando se depara com uma coisa assim até se ofusca. Clarice Lispector e Maura Lopes Cançado iriam curtir, aposto. E eu nem gostava muito dele: gostava médio. Agora, adoro.

ARMANDO FREITAS FILHO_RIO DE JANEIRO, RJ

 

MARIA JESUS

Vale lembrar que Jesus nem sempre é masculino, em São Luís, principalmente. Em frente ao caixa de uma lanchonete, costuma-se pedir:

─ Me dá uma Jesus?

RAFAEL ABREU_VITÓRIA, ES, PORÉM MARANHENSE

 

MODA XEROX

Fiquei curiosa para saber qual seria a descrição do look usado pela autora da matéria. Seria intelectual-com-ar-superior, fingindo não se importar com a moda? Ou a ironia se aplica só aos fashionistas? No BlogView ─ blog de moda coletivo, do qual participo ─ a matéria foi discutida e continuará a ser aprofundada. Graças ao conteúdo inteligente e aos textos longos da revista, criamos a gíria “escrever uma piauí“. Afinal, veja só, vocês também estão lançando moda!

BITI AVERBACH_SÃO PAULO, SP

NOTA DA REDAÇÃO: seguindo o romantismo do novo milênio, a autora da reportagem usava um look Boho fast-fashion. Ou seja: menos miller e mais trump.

 

LAR DESFEITO

A revista de vocês tem dado até briga lá em casa ─ quem fez a assinatura foi meu marido, então ele acha que tem direito de ler primeiro.

LENARA LONDERO_PORTO ALEGRE, RS

NOTA DA REDAÇÃO: faça uma segunda assinatura. Melhor: faça várias.

 

CARO CHANTECLER

Você ficaria envergonhado se lesse os horóscopos do Oscar Quiroga, do Estadão. São muito mais engraçados que os seus.

LUCIANO MACHADO_SÃO PAULO, SP

 

SUNGAS-PRETAS AOS MILHÕES

Bom saber que em meu armário não há nenhuma sunga preta. Creio que nem mesmo Marcos Caetano achava que as lojas aumentariam seus estoques, à espera que milhões de leitores passassem a se identificar com a tribo.

RONNIE OYAMA_RIO DE JANEIRO, RJ

NOTA DA REDAÇÃO: se for para ter milhões de leitores, piauí torce para que as praias se encham de sungas-pretas.

 

SANGUE NOVO

Gostaria de me apresentar. Meu nome é Eduardo Corte Danelon, sou porto alegrense, tenho 18 anos, faço graduação em Direito na UFRGS e possuo faculdades mentais normais, portanto sou gremista.

NOTA DA REDAÇÃO: muito prazer.

 

AUTOR OU DEFUNTO?

Havia mesmo que ser no Brasil de Machado de Assis o boom de um mercado editorial para o “defunto autor”. Pena que o patrono dos nossos imortais, sempre irônico e original, ainda não deu as caras para ditar As novas memórias de Brás Cubas ─ obra que permitiria a seu protagonista, pela ironia de uma inferior continuação, nos transmitir, enfim, “o legado da nossa miséria”.

WEIDER WEISE_SÃO PAULO, SP

 

VOANDO ALTO

Santos Dumont, que esteve no Chile em 1916, deve ter ouvido lá as histórias do piloto desaparecido tenente Bello. De volta ao Brasil, passou na Argentina e em Foz do Iguaçu. Ao saber que as cataratas estavam em propriedade particular, viajou 400 quilômetros a cavalo pelo aceiro protetor da linha telegráfica até Guarapuava, de carro até Ponta Grossa e de trem a Curitiba, onde convenceu Afonso Camargo a desapropriar essas terras e criar o parque do Iguaçu, depois federalizado por Getúlio Vargas.

MARIO RANGEL_SÃO PAULO, SP

 

PAIS E FILHOS

A primeira piauí é inesquecível. Mas como tudo por aqui, tinha de avacalhar com meu bolso, pois a bichinha é cara! Égua! Com tantos e tão belos anúncios de página inteira, podia custar menos, pai! Tá cara, pai! Podia baixar para nós e aumentar o preço do espaço para anunciantes abonados, pra lá de.

JORGE CUNHA_RIO DE JANEIRO, RJ

NOTA DA REDAÇÃO: podia não, filho.

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #14: O ventríloquo de Haddad, a sucessão no Rio e o primeiro-ministro de Bolsonaro

O podcast de política da piauí debate os desdobramentos mais recentes da corrida eleitoral

O Animal Cordial – horas de desespero em noite de cão

Para crítico, a violência extrema anula os propósitos libertários almejados pelo longa

Muito Deus, pouca mulher

Uma análise visual dos programas de governo dos candidatos a presidente

Tempo eleitoral: modos de usar

Os dilemas do PSDB e do PT numa disputa atípica

Produtor de soja do MS é autor de “outdoor rural” pró-Bolsonaro

Projeto Comprova descobriu quem é o responsável pela imagem que viralizou e circula na internet desde o ano passado

A culpa do alto clero

Arranjo institucional do país aumenta a influência do dinheiro na política

O Grenal das vices

20 perguntas para mostrar as muitas diferenças e os poucos pontos em comum entre as gaúchas Manuela D’Ávila e Ana Amélia

Bolsonaro fala outra língua

O ex-capitão é o único presidenciável da era da conectividade

Maria vai com as outras #6: Lugar de homem

Adinaildes Gomes, dona de uma empresa de construção civil e motorista de aplicativo, e Karla de Souza, vigilante patrimonial, contam como é atuar em profissões historicamente masculinas

O medo e o mito

A relação entre Bolsonaro e um hit do axé

Mais textos
1

Alexandre, o Grande

Lembranças de uma vida inimitável

2

O debate traduzido para o mercado financeiro

Em pesquisa para bancos, Ciro foi apontado como o candidato mais simpático, e Bolsonaro, o mais alvejado; piauí acompanhou o programa em consultoria que monitora redes sociais para as instituições

3

Bolsonaro fala outra língua

O ex-capitão é o único presidenciável da era da conectividade

4

A morte de um “X-9” ameaça a paz de Marcola no PCC

Galo Cego era considerado um traidor por parte da facção; foi a quinta morte na guerra interna do “partido”

5

A guerra do PCC

Facção se internacionaliza com tráfico de cocaína, e pela primeira vez Marcola vê seu poder ameaçado

6

O Grenal das vices

20 perguntas para mostrar as muitas diferenças e os poucos pontos em comum entre as gaúchas Manuela D’Ávila e Ana Amélia

7

No sofá, com a crise

Desempregados passam a lavar carros em ruas do Rio e serviço conta até com sofá para os clientes. Um deles pergunta: “Prefere que eu assalte?”

9

Com Deus, sem Lula

Impressões sobre o primeiro debate dos presidenciáveis

10

Dívida milionária, tortura psicológica e chacina sem tiros intrigam polícia

Em Santa Catarina, família é assassinada com uso de técnica de asfixia química até então desconhecida por investigadores