<i>Já não quero viver aqui.</i> Não é um desejo de morte e sim de exílio. Não é que não queira viver em São Paulo ou no Brasil – não quero mais viver em parte alguma. Vi hoje um vídeo chocante – pessoas atropeladas, jogadas sobre o asfalto, após o atentado com um caminhão em Nice. Horrorizado, a frase me veio – <i>Já não quero viver aqui, não pertenço a este tempo</i>
Ver dados da foto Já não quero viver aqui. Não é um desejo de morte e sim de exílio. Não é que não queira viver em São Paulo ou no Brasil – não quero mais viver em parte alguma. Vi hoje um vídeo chocante – pessoas atropeladas, jogadas sobre o asfalto, após o atentado com um caminhão em Nice. Horrorizado, a frase me veio – Já não quero viver aqui, não pertenço a este tempo IMAGEM: NUNO RAMOS

Fooquedeu. Mas não deu.

O envelhecimento, a morte e o mal-estar com o tempo presente
Nuno Ramos
Tamanho da letra
A- A+ A
Já não quero viver aqui. Não é um desejo de morte e sim de exílio. Não é que não queira viver em São Paulo ou no Brasil – não quero mais viver em parte alguma. Vi hoje um vídeo chocante – pessoas atropeladas, jogadas sobre o asfalto, após o atentado com um caminhão em Nice. Horrorizado, a frase me veio – Já não quero viver aqui, não pertenço a este tempo IMAGEM: NUNO RAMOS

Exclusivo para assinantes

Há pouco mais de um ano, durante a montagem da exposição O Direito à Preguiça, Nuno Ramos
começou a tomar notas. Escreveu sobre sua rotina, sobre a política brasileira, sobre a arte, misturando assuntos e registros. O conjunto resultou numa espécie de diário em fragmentos, publicado pela piauí
em julho do ano passado. Desde então, sem nenhum plano determinado, o artista continuou a escrever.
O que vem a seguir é uma seleção desses escritos, que o autor pretende um dia transformar em livro.​

CAGUEI – a) Tenho esquecido nomes e palavras numa velocidade assustadora. b) Vou cada vez mais ao banheiro, como se meu intestino não suportasse carga. Ou seja: a craca da vida (documentos, horários, agenda, filhos, necessidades econômicas, o passeio da cachorra) proliferou na parte externa do meu casco, diminuindo drasticamente a velocidade do barco. Sim, perdi quase toda minha agilidade e leveza. Em compensação, esqueço e cago. É assim que me vingo.

SÓ PARA ASSINANTES.

Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site, inclusive imagens, logotipos, fotografias e podcasts, são de propriedade da revista piauí ou de seu criador original. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo aqui disponibilizado, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia da revista ou do titular dos direitos autorais.

ASSINANTE PIAUÍ

Use o mesmo e-mail e senha cadastrados no site da Ed. Abril no ato da assinatura. Esqueceu a senha ou o e-mail ?