diário

Fooquedeu. Mas não deu.

O envelhecimento, a morte e o mal-estar com o tempo presente

Nuno Ramos
<i>Já não quero viver aqui.</i> Não é um desejo de morte e sim de exílio. Não é que não queira viver em São Paulo ou no Brasil – não quero mais viver em parte alguma. Vi hoje um vídeo chocante – pessoas atropeladas, jogadas sobre o asfalto, após o atentado com um caminhão em Nice. Horrorizado, a frase me veio – <i>Já não quero viver aqui, não pertenço a este tempo</i>
Já não quero viver aqui. Não é um desejo de morte e sim de exílio. Não é que não queira viver em São Paulo ou no Brasil – não quero mais viver em parte alguma. Vi hoje um vídeo chocante – pessoas atropeladas, jogadas sobre o asfalto, após o atentado com um caminhão em Nice. Horrorizado, a frase me veio – Já não quero viver aqui, não pertenço a este tempo IMAGEM: NUNO RAMOS

Há pouco mais de um ano, durante a montagem da exposição O Direito à Preguiça, Nuno Ramos
começou a tomar notas. Escreveu sobre sua rotina, sobre a política brasileira, sobre a arte, misturando assuntos e registros. O conjunto resultou numa espécie de diário em fragmentos, publicado pela piauí
em julho do ano passado. Desde então, sem nenhum plano determinado, o artista continuou a escrever.
O que vem a seguir é uma seleção desses escritos, que o autor pretende um dia transformar em livro.​

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Nuno Ramos

Nuno Ramos é artista plástico e escritor. Publicou, entre outros, os livros Ó e Sermões, ambos pela Iluminuras

Leia também

Últimas Mais Lidas

Razão não depende de geografia

No imaginário nacional, o Nordeste segue como a terra que vota com o estômago

Do porto de Santos à marina em Miami

Afilhado político de Temer que comandou Codesp acumula patrimônio milionário e offshore no Caribe

O Brasil dos debates e o Brasil real

Temos apenas 45 dias para falar sobre os reais problemas do país

Foro de Teresina #14: O ventríloquo de Haddad, a sucessão no Rio e o primeiro-ministro de Bolsonaro

O podcast de política da piauí debate os desdobramentos mais recentes da corrida eleitoral

O Animal Cordial – horas de desespero em noite de cão

Para crítico, a violência extrema anula os propósitos libertários almejados pelo longa

Muito Deus, pouca mulher

Uma análise visual dos programas de governo dos candidatos a presidente

Tempo eleitoral: modos de usar

Os dilemas do PSDB e do PT numa disputa atípica

Produtor de soja do MS é autor de “outdoor rural” pró-Bolsonaro

Projeto Comprova descobriu quem é o responsável pela imagem que viralizou e circula na internet desde o ano passado

A culpa do alto clero

Arranjo institucional do país aumenta a influência do dinheiro na política

O Grenal das vices

20 perguntas para mostrar as muitas diferenças e os poucos pontos em comum entre as gaúchas Manuela D’Ávila e Ana Amélia

Mais textos
1

A guerra do PCC

Facção se internacionaliza com tráfico de cocaína, e pela primeira vez Marcola vê seu poder ameaçado

2

Bolsonaro fala outra língua

O ex-capitão é o único presidenciável da era da conectividade

3

Muito Deus, pouca mulher

Uma análise visual dos programas de governo dos candidatos a presidente

4

O Grenal das vices

20 perguntas para mostrar as muitas diferenças e os poucos pontos em comum entre as gaúchas Manuela D’Ávila e Ana Amélia

5

Alexandre, o Grande

Lembranças de uma vida inimitável

6

A morte de um “X-9” ameaça a paz de Marcola no PCC

Galo Cego era considerado um traidor por parte da facção; foi a quinta morte na guerra interna do “partido”

7

Do porto de Santos à marina em Miami

Afilhado político de Temer que comandou Codesp acumula patrimônio milionário e offshore no Caribe

8

O debate traduzido para o mercado financeiro

Em pesquisa para bancos, Ciro foi apontado como o candidato mais simpático, e Bolsonaro, o mais alvejado; piauí acompanhou o programa em consultoria que monitora redes sociais para as instituições

9

Tempo eleitoral: modos de usar

Os dilemas do PSDB e do PT numa disputa atípica

10

Razão não depende de geografia

No imaginário nacional, o Nordeste segue como a terra que vota com o estômago