esquina

Golden boy

Um novato na Câmara do Rio

Malu Gaspar
ILUSTRAÇÃO: ANDRÉS SANDOVAL_2016

“Moço, vamos fechar. Você pode ir embora. A sessão acabou”, disse o segurança da Câmara Municipal do Rio de Janeiro em meados de outubro, cutucando as costas de Leandro Lyra. O rapaz de 24 anos, óculos e cabelos curtos se encontrava no fundo do plenário. Absorto, destrinchava a lei orgânica do município e as 700 páginas que compõem o regimento interno da Casa. Chegara logo depois do almoço para visitar o local onde vai trabalhar a partir de janeiro. Dias antes, ao receber 29 217 votos, tornara-se o décimo vereador mais votado da cidade, embora sem nenhuma experiência política, e o mais jovem da próxima legislatura. Também virou estrela do Partido Novo, que disputou sua primeira eleição. Registrada em setembro de 2015, a legenda propaga ideias tipicamente liberais, como redução do Estado e maior eficiência na gestão pública.

Lyra se mostrava ansioso para conhecer os atuais parlamentares e entender o funcionamento da Câmara. Mas a sessão foi morna. Aprovaram-se apenas umas homenagens e proferiram-se uns poucos discursos. Os mais ruidosos partiram de vereadores ligados à comunidade judaica, que protestavam contra uma nota do PSOL. A sigla de esquerda tachava de genocida o ex-primeiro-ministro de Israel Shimon Peres.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Malu Gaspar

Malu Gaspar, repórter da piauí, é autora do livro Tudo ou Nada: Eike Batista e a Verdadeira História do Grupo X, da Editora Record

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #47: Bolsonaro joga diesel na crise, deputada é ameaçada, e STF embarca na censura

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Delação financiada

Pressionada pela Lava Jato, CCR decide pagar 71 milhões de reais para demitir executivos e transformá-los em delatores; acionistas minoritários protestam

A guerra perdida de Toffoli

Embate no Supremo mostra sucessão de equívocos, avalia professor da FGV

Verbas pelo ralo

Empresa contratada com dinheiro de emenda apresentada pelo secretário de Previdência fez depósitos na conta de parente de Marinho; caso explicita descontrole na fiscalização

Foro de Teresina #46: Os 100 dias de governo, o marasmo na economia e a chuva (de tiros) no Rio

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

O Caso Hammarskjöld – persistência recompensada

Documentário tem chance de ajudar a esclarecer morte de secretário-geral da ONU

Foi atender o telefone e voltou demitido

Embaixador diz que Apex era “jardim de infância” com diretora despreparada e protegida pelo chanceler

Mourão, o avalista  

Atacado pelos radicais bolsonaristas, o vice-presidente se coloca como garantia contra solavancos do governo

Balança mas não vende

Bolsonaro prioriza relações com Israel, mas Brasil tem déficit com israelenses e superávit com Liga Árabe

Mais textos
2

Delação financiada

Pressionada pela Lava Jato, CCR decide pagar 71 milhões de reais para demitir executivos e transformá-los em delatores; acionistas minoritários protestam

3

Verbas pelo ralo

Empresa contratada com dinheiro de emenda apresentada pelo secretário de Previdência fez depósitos na conta de parente de Marinho; caso explicita descontrole na fiscalização

4

Foi atender o telefone e voltou demitido

Embaixador diz que Apex era “jardim de infância” com diretora despreparada e protegida pelo chanceler

7

“A vida, a humilhação, a gozação nas ruas”

Uma história da República chega ao fim

8

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio

9

The BolsozApp Herald

A rede social mais patriótica do Brasil

10

Os manifestantes estão em pânico

O que querem os coletes amarelos?