Ver dados da foto PERTTU SAKSA_FOTO DA SÉRIE A KIND OF YOU_2013

Ideia para um conto (macaco)

Autoajuda para a síndrome do ninho vazio
Evan Lavender-Smith
Tamanho da letra
A- A+ A
PERTTU SAKSA_FOTO DA SÉRIE A KIND OF YOU_2013

Filhos de marido e mulher finalmente cresceram, estão começando suas famílias etc. Saíram de casa, até que enfim.

A vida está uma maravilha.

Marido retoma seus projetos de melhorias no lar etc., mulher retoma seus textos etc.

Finalmente socializando de novo etc.

A vida está bem legal.

A vida vai ficando menos legal.

A vida piora a cada semana que passa. Marido e mulher ficam de saco cheio.

Um com o outro? Com a monogamia? Pode ser.

Vão consultar terapeuta de casal, como fizeram há um tempão. Mesmo terapeuta, agora mais velho, mais sábio ou, pelo menos, mais confiante.

Terapeuta de casal insiste no vácuo criado pela ausência dos filhos etc. Faz sugestões cretinas no tocante a preenchimento do dito vácuo. Fornece planilhas etc.

Marido e mulher seguem sugestões direitinho, preenchem planilhas. Obviamente apaixonados ou, pelo menos, obviamente dedicados à ideia de estar apaixonados, fazem o possível para aquilo funcionar.

Sair de férias? Cruzeiro marítimo? Claro.

Ainda de saco cheio.

Ménage à trois? Talvez? Não.

Ainda de saco cheio etc.

Não dá mais pra ficar gritando com filhos etc.

Não dá mais pra projetar angústias referentes a sonhos e objetivos frustrados etc.

Não dá mais pra concentrar propensão que marido e mulher têm por essa mania de cuidar dos outros – talvez terapeuta estivesse certo.

Reverter vasectomia? Velhos demais.

Arranjam cachorro.

Ficam de saco cheio com cachorro – talvez terapeuta estivesse certo. Mulher coloca anúncio no Facebook. “Shih-tzu de graça.”

Mulher sai em peregrinação para visitar filha, marido para visitar filho.

Na volta fazem amor e anunciam, simultaneamente e a meio coito, desejo comum de adotar uma criança.

Formulários, atestados de antecedentes, filas de espera etc.

Finalmente acham adolescente grávida.

Encontros constrangedores enquanto gravidez avança. Bebê nasce, adolescente sofre súbita mudança de opinião, marido e mulher ficam a ver navios etc.

Ideia de adoção é abandonada.

Tempos difíceis etc.

Conversas periódicas sobre divórcio etc.

Conversas frequentes sobre divórcio.

Angustiado a respeito de casamento que desmorona, marido tenta de tudo, entra na internet, topa com site que anuncia adoções de primatas.

Sem pensar direito, manda e-mail pra criador de macacos dizendo já estou chegando, entra no carro, dirige 150 quilômetros, enterra 3 mil dólares num macaco reso jovem, é uma luta voltar pra casa com macaco no carro.

Estaciona em frente de casa, respira fundo, cata macaco, leva macaco até a porta da frente, é uma luta pegar chaves no bolso enquanto segura macaco, larga macaco na calçada, macaco foge. Marido persegue macaco pelo bairro todo. Vizinhos parados nos jardins de queixo caído etc. Marido finalmente pega macaco depois de acuar bicho em quintal de vizinho com ajuda de crianças da quadra. Leva macaco de novo para casa, com mais cuidado dessa vez para não largar macaco na calçada enquanto pega chaves no bolso. Abre a porta, chama mulher.

Mulher larga iPad, sai da cama. Vê marido acanhado na entrada, exibindo macaco.

Mulher diz: “pqp!!!”

Primeira semana, ninguém dorme. Macaco trancado na lavanderia, socando porta.

Segunda semana, ninguém dorme. Macaco trancado na garagem, socando porta.

Terceira semana, marido constrói elaborada jaula na sala de estar. Mulher dá uma mãozinha, em respeito a ideia desmiolada mas bem-intencionada de marido, de salvar casamento via aquisição de primata. Macaco ainda soca porta da garagem. Ninguém dorme.

Quarta semana, macaco na jaula da sala de estar, gritando a noite toda. Ninguém dorme.

Quinta semana, voltam a terapeuta de casal, que de início supõe que marido e mulher estejam usando palavra macaco em sentido metafórico. Terapeuta logo percebe que se trata de macaco de verdade e indica veterinário. Marido e mulher procuram veterinário. Veterinário sugere que eles ou 1) parem de frescura, ou 2) se livrem de macaco.

Vão de carro até terreno baldio, com medo de ir pra casa. O sol se põe. Surgem estrelas. Lua etc. Olham-se nos olhos: ainda apaixonados – mal e mal. Pulam para banco de trás, fazem amor. Decidem 1) parar de frescura.

Marido e mulher começam a passar o dia todo todo dia cuidando de macaco.

Macaco precisa de até dez trocas de fraldas por dia.

Macaco morde com regularidade.

Macaco estapeia, soca, cospe, peida, vomita.

Macaco curte destruir móveis caros.

Macaco é obstinado.

Macaco não come qualquer coisa não.

Macaco sobe pela chaminé, fica entalado.

Macaco dá um jeito de entrar em duto de ar-condicionado, fica andando dois dias pelo telhado.

Macaco mija no aparelho de som caríssimo.

Macaco foge de casa, toma tiro no ombro com dardo tranquilizante do controle de animais. Macaco arranca dardo do ombro, joga fora, gargalha como alucinado, sai correndo.

Macaco quebra ventilador de teto etc.

Macaco dá cascudo etc.

Macaco se nega a ouvir qualquer coisa que não seja Michael Jackson.

Marido e mulher ligam para filho e filha no viva-voz, revelam aquisição e criação de macaco. Filha sugere que se consultem com terapeuta de casal.

Macaco some por dois dias – apesar de jaula seguir trancada. No terceiro dia, marido e mulher dão um suspiro aliviado, fazem amor. Naquela noite macaco reaparece na jaula – porta da jaula ainda está trancada.

Macaco tenta estrangular mulher.

Mulher secretamente posta no Facebook: “Libertem Macaco.”

Macaco tenta estrangular marido.

Mulher tira anúncio do Facebook.

Macaco tem pesadelos.

Macaco curte gritar a plenos pulmões.

Excremento de macaco fede horrivelmente.

Macaco se recusa a comer banana.

Macaco às vezes é um megababaca.

Macaco se nega a ficar paradinho pras fotos.

Macaco às vezes também é um fofo.

A única coisa que acalma macaco é Big Brother.

Macaco superdetesta tomar banho.

Às vezes parece que macaco adora marido e mulher, mas eles suspeitam que seja só fingimento pra ganhar um punhado de cookies.

Quando marido e mulher entram na sala de estar para brincar com macaco, quase sempre ele cospe na cara deles ou arremessa alguma coisa pontuda na cabeça deles.

Macaco age como se quisesse sair da jaula e se juntar a marido e mulher no quarto toda vez que ouve a porta fechar. Só que quando eles deixam macaco sair ele vai direto para a geladeira.

Macaco tenta sugar seios de mulher, puxa pra baixo blusa dela durante Big Brother.

Mulher ajeita blusa, faz cafuné em macaco, abaixa volume de Big Brother. Macaco satisfeito. Por um minuto.

Macaco tenta sugar seios de marido.

Marido ri, afasta delicadamente macaco. Macaco quebra nariz de marido com um soco.

Macaco se nega a ouvir qualquer coisa que não seja Katy Perry.

Macaco às vezes aperta demais quando abraça.

Macaco sempre tenta mão-boba entre coxas de mulher durante Big Brother etc.

Marido e macaco assistem O Planeta dos Macacos. Macaco arremessa controle remoto de Blu-ray contra tevê e racha tela.

Macaco se mete entre tela de computador e mulher toda vez que mulher tenta escrever.

Macaco só quer ficar no colinho às terças e quintas.

Macaco curte esconder ferramentas de carpintaria de marido em lugares malucos. Como privada etc.

Aparentemente macaco não sabe diferença entre trovoada e apocalipse etc.

Macaco sempre deixa mancha nojenta de baba no travesseiro quando dorme na cama de marido e mulher.

Quando macaco percebe marido e mulher se beijando, tenta se meter entre os dois rostos.

Filho e filha vêm visitar no Natal com respectivas famílias. Véspera de Natal macaco foge da jaula, abre todos os presentes embaixo da árvore, mija em cada um deles. Filho e filha prometem nunca mais voltar para o Natal.

Quando macaco ouve, atrás da porta fechada do quarto, marido e mulher fazendo amor, grita a plenos pulmões e soca porta até cessarem os gemidos.

Macaco se nega a fazer seu próprio café da manhã apesar de já terem lhe ensinado tipo vinte vezes.

Macaco curte deixar brinquedos jogados pelo corredor onde marido e mulher correm o risco de tropeçar.

Macaco gosta de dormir em cama de marido e mulher com braços e pernas bem abertos. Marido com frequência acorda no chão.

Macaco se nega a colocar guardanapo no colo à mesa.

Macaco não quer comer salada etc.

Aparentemente macaco não vê diferença entre iPad e frisbee.

Macaco come desodorante etc.

Quando macaco vai escovar dente, finge apertar tubo e botar pasta na escova e tenta escovar só com água.

Macaco diz que não consegue dormir se não cantarem para ele, nem sem massagenzinha nas costas.

Macaco lava demais as mãos. Parece toc isso de lavar as mãos.

Macaco se nega a brincar com outros macacos em hábitat de macacos. Sempre que os outros convidam macaco a se juntar a eles, macaco revira os olhinhos e solta um muxoxo.

Aparentemente macaco está escondendo vitaminas no canto da boca e cuspindo na privada durante seus intermináveis cocôs em banheiro do corredor.

Macaco insiste em roupas mais caras etc.

Macaco arromba armário de bebidas quando marido e mulher saem para jantar e ver um filminho, fica bebaço.

Macaco vive dormindo durante Big Brother. Mulher tenta acordar macaco com cutucões – mas macaco sempre volta a roncar em um ou dois minutos.

Macaco já não gosta tanto de ficar no colinho.

Macaco passa da hora de ir dormir, fica só no iPad.

Macaco se nega a ajudar a trazer as compras do carro.

Macaco passa muitíssimo da hora de dormir fazendo alguma coisa que marido e mulher suspeitam seja masturbação.

Macaco come todos seus bichinhos de pelúcia preferidos, passa uma semana vomitando.

Macaco briga com cachorro vizinho, arranca pedacinho da orelha do cachorro com dentada.

Macaco come porcaria demais etc.

Macaco se recusa a arrumar a jaula etc.

Macaco dorme praticamente o dia todo etc.

Macaco se nega a ouvir qualquer coisa que não seja Radiohead.

Toda vez que marido e mulher mandam macaco ficar de castigo, ele faz cara de não acredito, como se fosse grande demais pra ficar de castigo.

Macaco não desce do abajur, a não ser que marido jure que vai renovar assinatura da Playboy no iPad.

Um dia macaco entra quietinho no quarto, tenta fazer amor com mulher.

Talvez?

Dia seguinte marido senta com macaco à mesa de jantar para séria conversa de homem para macaco. Macaco pede desculpas, lá do seu jeito. Macaco entra escondido no quarto naquela noite e ejacula na cara do marido.

Talvez não?

Macaco se nega a ouvir qualquer coisa que não seja Tom Waits.

Macaco se nega a brincar com outros macacos em hábitat de macacos – até que um dia uma macaca tímida se aproxima dele, começa a fazer carinhos na cabeça dele e na barriga. Macaco passa resto da tarde se divertindo com outros macacos. Macaco se torna obstinado e até violento quando marido e mulher sugerem que é hora de voltar para casa.

Nas três semanas seguintes, macaco triste o dia todo a não ser terças e quintas, quando marido e mulher levam macaco a hábitat de macacos.

Marido e mulher combinam deixar macaco passar fim de semana em hábitat. Dão carona, dizem tchau. Talvez tenham ficado com um nó na garganta. Vão de carro até terreno baldio, com medo de ir para casa. O sol se põe. Surge a lua. Estrelas. Olham-se nos olhos: ainda apaixonados – muitíssimo. Pulam para banco de trás, fazem amor e anunciam, simultaneamente e a meio coito, o desejo comum de deixar macaco viver no hábitat de macacos dali em diante.

Não vai ser fácil etc.

Não foi mole dizer adeus etc.

Eles tinham passado a amar macaco, de verdade, lá do jeito deles, apesar de tudo etc.

Mas provavelmente é melhor assim. Hora de macaco andar com as próprias pernas.

Marido e mulher voltam ao hábitat, anunciam decisão. Dão beijinho de adeus. Lágrimas etc.

Macaco saiu de casa, até que enfim.

Marido retoma seus projetos de melhorias no lar etc., mulher retoma seus textos etc.

Finalmente socializando de novo etc.

Marido e mulher visitam macaco no hábitat às terças e quintas.

A vida está bem legal.

Talvez macaco não tenha sido uma ideia tão louca afinal etc.

ASSINANTE PIAUÍ

Use o mesmo e-mail e senha cadastrados no site da Ed. Abril no ato da assinatura. Esqueceu a senha ou o e-mail ?