cartas

Não foi ninguém

MARIELLE PRESENTE 1

A lógica recomenda que se comece a leitura da piauí pela seção de cartas, para fechar o ciclo das edições anteriores. É o que faço todo mês. Entretanto, na edição de abril, diante da urgência do tema e da inevitável sensação de desesperança em que ele nos lançou, o assassinato de Marielle me conduziu automaticamente para a matéria assinada pela estagiária Yasmin Santos (“Do lado de cá”, piauí_139, abril). Embora o texto inteiro – claro, seco e preciso – transborde talento e consciência, o parágrafo de encerramento traz uma carga extra de emoção e maturidade, ambas surpreendentes em alguém com apenas vinte velinhas sopradas.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Leia também

Últimas Mais Lidas

A nossa hora mais escura

O legado de trinta anos de democracia está em jogo nesta eleição

Bolsonaro e Haddad vão ao JN, bombam no Twitter e crescem

Jornal Nacional foi evento mais tuitado das campanhas dos candidatos do PSL e do PT; apresentadores viraram o assunto após as entrevistas

Por que mulheres trocaram Marina por Haddad, Ciro e Bolsonaro

De líder no voto feminino, candidata despencou para o quarto lugar; seu discurso é “sincero”, mas falta clareza, dizem ex-eleitoras

Bolsonaro não queria sair da Santa Casa

A história de como a família do presidenciável dispensou o Sírio-Libanês, contrariou a vontade do candidato de ficar em Juiz de Fora e aceitou a proposta do tesoureiro do PSL de levá-lo para o Einstein

Aluguel do PSL custa R$ 1,8 milhão à campanha de Bolsonaro

Ex-presidente do partido, Luciano Bivar recebeu sozinho, até agora, 28% dos gastos da cúpula nacional da sigla que cedeu ao ex-capitão

Antipetismo e democracia

O candidato do PT e o candidato do PSL não são dois lados da mesma moeda

Robôs tiram sono de 90% dos jovens no Brasil

Pesquisa da Pew Research mostra que, entre os brasileiros, os mais preocupados com a automação do seu trabalho têm de 18 a 29 anos

Ciro queima pontes com o Exército

Cúpula militar reage à declaração do candidato de que general Villas Bôas “pegaria uma cana” por falar de política; de “bom quadro”, pedetista vira “insensato”

Grupo pró-Bolsonaro ganha relevância no Twitter após facada

Levantamento da DAPP-FGV mostra que apoiadores do candidato do PSL saíram fortalecidos do atentado; antibolsonaristas, porém, ainda dominam discussões

Restam três para uma

Haddad, Ciro, Alckmin e a vaga contra Bolsonaro

Mais textos
1

SUS salva Bolsonaro por R$ 367,06

Pago pelo sistema público brasileiro, cirurgião de veias e artérias de Juiz de Fora é tirado de almoço de família para achar e conter hemorragia no candidato

2

Bolsonaro não queria sair da Santa Casa

A história de como a família do presidenciável dispensou o Sírio-Libanês, contrariou a vontade do candidato de ficar em Juiz de Fora e aceitou a proposta do tesoureiro do PSL de levá-lo para o Einstein

3

Ciro queima pontes com o Exército

Cúpula militar reage à declaração do candidato de que general Villas Bôas “pegaria uma cana” por falar de política; de “bom quadro”, pedetista vira “insensato”

4

Aluguel do PSL custa R$ 1,8 milhão à campanha de Bolsonaro

Ex-presidente do partido, Luciano Bivar recebeu sozinho, até agora, 28% dos gastos da cúpula nacional da sigla que cedeu ao ex-capitão

5

Antipetismo e democracia

O candidato do PT e o candidato do PSL não são dois lados da mesma moeda

6

Restam três para uma

Haddad, Ciro, Alckmin e a vaga contra Bolsonaro

7

Oligarquia irritada

Enquanto espera que o chefe, Ciro, seja o próximo presidente, o clã dos Gomes, de Sobral, ocupa postos no Ceará e em Brasília

8

O fiador

A trajetória e as polêmicas do economista Paulo Guedes, o ultraliberal que se casou por conveniência com Jair Bolsonaro

10

O mínimo e o justo

Menos Estado gera mais justiça social?