anais da ciência

O acelerador

O mais ambicioso projeto da ciência brasileira pode levar a pesquisa no país a um novo patamar. Ou não

Bernardo Esteves
O acelerador de partículas Sirius, que funciona como um supermicroscópio, está sendo construído em Campinas. Quando estiver pronto, será um dos melhores do mundo. Equipamentos desse tipo têm sido usados em pesquisas na fronteira do conhecimento, algumas premiadas com o Nobel
O acelerador de partículas Sirius, que funciona como um supermicroscópio, está sendo construído em Campinas. Quando estiver pronto, será um dos melhores do mundo. Equipamentos desse tipo têm sido usados em pesquisas na fronteira do conhecimento, algumas premiadas com o Nobel FOTO: RENAN PICORETI_DIVULGAÇÃO LNLS/CNPEM

O Prêmio Nobel de Química de 2009 foi concedido a três pesquisadores que desvendaram a estrutura de uma das mais sofisticadas – e diminutas – organelas presentes no interior das células. Os ribossomos, cuja composição detalhada era desconhecida até pouco tempo atrás, são fábricas nanométricas de proteínas: são eles os responsáveis por transformar a informação genética contida no DNA nas moléculas orgânicas encarregadas de controlar virtualmente todos os processos biológicos de um organismo vivo.

Uma das dificuldades para o estudo do funcionamento dos ribossomos está no fato de que ele próprio é um emaranhado de dezenas de proteínas, e seu número de átomos se conta na casa das centenas de milhares. Os trabalhos dos cientistas premiados – a israelense Ada Yonath e os americanos Thomas Steitz e Venkatraman Ramakrishnan – permitiram mapear com exatidão, pela primeira vez, onde fica cada um desses átomos.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Bernardo Esteves

Repórter da piauí desde 2010, é autor do livro Domingo É Dia de Ciência, da Azougue Editorial

Leia também

Últimas Mais Lidas

A mão que acende o fogo

Aquecimento global e desmatamento aumentam o material combustível para os incêndios, mas, sem ação de pessoas, o Pantanal e a Amazônia não queimariam assim

“O fogo acabou com tudo”

Líder indígena em Mato Grosso relata como as queimadas avançam sobre sua aldeia, destruindo casas, árvores, animais e memórias

O que Há em Ti e o que está por vir

Cinemas do Rio não abrem porque não podem comercializar seu principal produto - comida

Não adianta culpar o boi

Câmbio, exportação e demanda interna explicam aumento do preço da carne

Ciência política regulamentada

Em resposta ao artigo “Deixa a moça trabalhar”, autores  defendem regulamentação da profissão de cientista político

O arroz do pobre na fritura do ministro

Apetite eleitoral de Bolsonaro rejeita os movimentos do mercado

Mais textos
2

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

4

Qu4tro figuras (e mais 2)

Agora só tem o Homem de Ferro em Blu-ray, a privada virou "poltrono", a moça penteia o bigode e Stálin está no armário

5

A vida e a morte de uma voz inconformada

Os últimos momentos de Marielle Franco, a vereadora do PSOL executada no meio da rua no Rio de Janeiro sob intervenção

10

Warst du schon mal in Bahia?

A passagem da seleção alemã pela praia de Santo André