Até 1870, a língua geral, ou nheengatu, foi dominante no Amazonas ─ índios, mestiços, brancos, negros, todos a falavam. Apagou-se a língua e apagou-se também a memória da língua
Ver dados da foto Até 1870, a língua geral, ou nheengatu, foi dominante no Amazonas ─ índios, mestiços, brancos, negros, todos a falavam. Apagou-se a língua e apagou-se também a memória da língua ILUSTRAÇÃO: CAIO BORGES_ESTÚDIOONZE_BASEADO EM THE GOSSIPS_NORMAN ROCKWELL_1948

O contrário da memória

Vida, morte e vida da língua geral
Branca Vianna
Podcast :: Noite Feliz em nheengatu
Revista Piauí
Tamanho da letra
A- A+ A
Até 1870, a língua geral, ou nheengatu, foi dominante no Amazonas ─ índios, mestiços, brancos, negros, todos a falavam. Apagou-se a língua e apagou-se também a memória da língua ILUSTRAÇÃO: CAIO BORGES_ESTÚDIOONZE_BASEADO EM THE GOSSIPS_NORMAN ROCKWELL_1948

Exclusivo para assinantes. Leia a matéria na revista impressa ou faça login para acessar nosso acervo completo.

São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, fica a 858 quilômetros da capital do estado – são quatro dias de barco ou duas horas e meia de bimotor. É uma das cidades mais ao norte do país, na divisa com Venezuela e Colômbia. É tão perto da fronteira – doze horas de barco, distância que em dimensões amazônicas equivale a um pulinho – que os rebeldes das Farc, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, descem o rio para fazer compras na cidade. Quando há um cessar-fogo entre governo e guerrilheiros, o comércio local, que já não é dos mais pujantes, sente o baque.

O município ganhou fama em 2002 por ter oficializado três línguas indígenas, além do português. Disso se depreende que deveria haver funcionários falantes de tukano, baniwa e nheengatu nas escolas e repartições públicas, no batalhão do Exército, nos hospitais, no Banco do Brasil, na casa lotérica que faz as vezes de agência da Caixa Econômica e no fórum de Justiça.

SÓ PARA ASSINANTES.

Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site, inclusive imagens, logotipos, fotografias e podcasts, são de propriedade da revista piauí ou de seu criador original. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo aqui disponibilizado, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia da revista ou do titular dos direitos autorais.

ASSINANTE PIAUÍ

Use o mesmo e-mail e senha cadastrados no site da Ed. Abril no ato da assinatura. Esqueceu a senha ou o e-mail ?