vultos da República

O improvável

Rodrigo Maia flerta com a Presidência da República

Julia Duailibi e Malu Gaspar
“Ninguém ouviu da minha boca que não era para ajudar o Michel. Mas não posso rechaçar elogios. Se o cara me diz ‘você é a solução para o Brasil’, não posso dizer ‘para com isso, sou ruim’’’
“Ninguém ouviu da minha boca que não era para ajudar o Michel. Mas não posso rechaçar elogios. Se o cara me diz ‘você é a solução para o Brasil’, não posso dizer ‘para com isso, sou ruim’’’ FOTO: KAZUO OKUBO_2017

Os gritos de “Fora, Temer” ressoavam pelo plenário, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Democratas do Rio de Janeiro, tentava colocar alguma ordem na sessão, sem sucesso. “No microfone, não”, advertiu a um dos parlamentares da oposição que bradava palavras de ordem contra o presidente da República no sistema de alto-falante da casa. A confusão era uma resposta à notícia publicada por O Globo, minutos antes. Às sete e meia da noite daquela quarta-feira, 17 de maio, o jornal divulgara que o empresário Joesley Batista, dono do Grupo JBS, a maior processadora de carnes do mundo, aderira à delação premiada e gravara Temer, no porão do Palácio do Jaburu, dando um suposto aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, que está preso em Curitiba.

Com a expressão um tanto alarmada, Maia lia e relia a bomba pelo celular, enquanto tentava dar continuidade à votação de medidas provisórias que compunham a pauta do dia. A oposição, no entanto, já cobrava a abertura de um processo de impeachment contra o presidente. “Fora, Temer!”, insistiam os opositores, em coro, acompanhados de um apito. Da mesa diretora, 2 metros acima dos demais parlamentares, Maia tinha o cenho franzido, os olhos assustados e começava a suar na testa. “Calma, calma”, pedia aos deputados, enfatizando o apelo com as mãos. Sob a mesa, suas pernas balançavam frenéticas, um tique nervoso que fazia tremelicar o imponente encosto da cadeira de presidente da Câmara.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Julia Duailibi

Julia Duailibi trabalhou na piauí, na TV Bandeirantes, na Folha de S.Paulo, na Veja e n’O Estado de S. Paulo

Malu Gaspar

Malu Gaspar, repórter da piauí, é autora do livro Tudo ou Nada: Eike Batista e a Verdadeira História do Grupo X, da Editora Record

Leia também

Últimas Mais Lidas

O lobby como antídoto

O grupo de pressão da indústria perdeu a sétima batalha seguida para o lobby dos artistas e ambientalistas na votação do “PL do Veneno” – mas a guerra continua

Do inferno ao céu, de chuteiras

Em vídeo da série "Diz aí, mestre", os campeões mundiais Nilton Santos e Tostão e o técnico do time de 82 e 86, Telê Santana, investigam o caso de amor e ódio do torcedor brasileiro com a sua seleção

Foro de Teresina #6: O aborto na eleição, os paradoxos de Marina e a absolvição de Gleisi

O podcast de política da piauí debate o impacto da descriminalização do aborto na Argentina sobre as eleições brasileiras, as contradições de Marina Silva e o revés da Lava Jato no caso Gleisi Hoffmann

Uma finta na idade

Zizinho e Ademir da Guia falam da dor de deixar os gramados e das artimanhas do craque para adiar o fim da carreira

Tudo o que você não quer e não precisa saber sobre a Copa #2

Em seu segundo episódio, o podcast que não tem compromisso com a eternidade debate o talento da equipe do Marrocos e o potencial sísmico dos torcedores mexicanos

45 anos de pena por um palpite errado

Titular da seleção de 50, Barbosa lembra o quanto custa o erro de um goleiro numa Copa do Mundo; De Gea é candidato a descobrir

Didi ensina a arte do meia-armador, aquele que Tite não tem

Série “Diz aí, mestre” recupera entrevistas com os grandes da seleção brasileira

Tudo o que você não quer e não precisa saber sobre a Copa #1

O podcast que não vai falar sobre o quinto metatarso do Neymar

Nilton Santos e Didi contam como driblavam o medo antes da estreia

Até o fim da Copa, a série “Diz aí, mestre” recupera histórias de jogadores das principais seleções brasileiras em mundiais

Sobe balão de filho de José Alencar para o lugar de Lula

Empresário que deixou a vice-presidência da Fiesp para ser candidato em outubro agora é cotado para o papel do vice que pode chegar a titular em chapa PT-PR

Mais textos
1

Tudo o que você não quer e não precisa saber sobre a Copa #1

O podcast que não vai falar sobre o quinto metatarso do Neymar

2

Nilton Santos e Didi contam como driblavam o medo antes da estreia

Até o fim da Copa, a série “Diz aí, mestre” recupera histórias de jogadores das principais seleções brasileiras em mundiais

3

Didi ensina a arte do meia-armador, aquele que Tite não tem

Série “Diz aí, mestre” recupera entrevistas com os grandes da seleção brasileira

4

Sobe balão de filho de José Alencar para o lugar de Lula

Empresário que deixou a vice-presidência da Fiesp para ser candidato em outubro agora é cotado para o papel do vice que pode chegar a titular em chapa PT-PR

5

O raro êxodo do Bolsa Família

Cada vez menos voluntários como Toninho pedem para sair do programa de ajuda: número de famílias que abre mão do benefício caiu à metade desde 2013

6

Série da piauí traz vídeos inéditos de craques das Copas

Em “Diz aí, mestre”, jogadores como Nilton Santos, Didi, Vavá e Bellini recuperam histórias de seus mundiais para iluminar a Copa de 2018

7

Uma finta na idade

Zizinho e Ademir da Guia falam da dor de deixar os gramados e das artimanhas do craque para adiar o fim da carreira

9

Deu zika no caixa

PCC transmite técnica de explodir caixas eletrônicos sem inutilizar as cédulas e detona epidemia de ataques a bomba no Rio

10

Do inferno ao céu, de chuteiras

Em vídeo da série "Diz aí, mestre", os campeões mundiais Nilton Santos e Tostão e o técnico do time de 82 e 86, Telê Santana, investigam o caso de amor e ódio do torcedor brasileiro com a sua seleção