Em 1927, a então próspera cidade de Mossoró conseguiu uma inédita vitória militar sobre as tropas de Lampião. A população local se armou, montou barricadas e ofereceu resistência. Surpreendidos, os cangaceiros bateram em retirada, mas um deles, Jararaca, acabou sendo capturado
Ver dados da foto Em 1927, a então próspera cidade de Mossoró conseguiu uma inédita vitória militar sobre as tropas de Lampião. A população local se armou, montou barricadas e ofereceu resistência. Surpreendidos, os cangaceiros bateram em retirada, mas um deles, Jararaca, acabou sendo capturado IMAGEM: J. OCTÁVIO_1927

O julgamento de Jararaca

Um soldado de Lampião no banco dos réus da história
Adriana Negreiros
Tamanho da letra
A- A+ A
Em 1927, a então próspera cidade de Mossoró conseguiu uma inédita vitória militar sobre as tropas de Lampião. A população local se armou, montou barricadas e ofereceu resistência. Surpreendidos, os cangaceiros bateram em retirada, mas um deles, Jararaca, acabou sendo capturado IMAGEM: J. OCTÁVIO_1927

Exclusivo para assinantes

De todas as crueldades atribuídas ao cangaceiro José Leite de Santana, vulgo Jararaca, a mais famosa consistia em arremessar crianças para o alto e apará-las com a ponta do punhal. Trespassados pela lâmina, garotinhos leves o bastante para serem lançados na direção do sol morriam lenta e dolorosamente, em meio aos gritos dos pais – e às gargalhadas do cangaceiro.

Além de assassino sádico e cruel, Jararaca – “Forte, resistente, ágil, moreno-escuro, atirador exímio, grande lutador de facas”, na descrição do historiador Luís da Câmara Cascudo – também carrega fama de pecador santificado pelo martírio. O túmulo onde jaz, no Cemitério São Sebastião, na cidade de Mossoró, recebe constantemente a visita de fiéis em busca de milagres. Nas celebrações de Finados, em 2 de novembro, é a sepultura mais visitada daquele município do oeste do Rio Grande do Norte, a 280 quilômetros de Natal. Diante da lápide, os devotos depositam cestos de flores, laços de fita e velas acesas. Não raro também se encontram, entre as oferendas, preservativos usados – uma das crenças locais é a de que Jararaca intervém em casos de fraqueza sexual aos que se entregam ao amor por sobre seus restos mortais.

SÓ PARA ASSINANTES.

Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site, inclusive imagens, logotipos, fotografias e podcasts, são de propriedade da revista piauí ou de seu criador original. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo aqui disponibilizado, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia da revista ou do titular dos direitos autorais.

ASSINANTE PIAUÍ

Use o mesmo e-mail e senha cadastrados no site da Ed. Abril no ato da assinatura. Esqueceu a senha ou o e-mail ?