questões raciais II

A revanche da babá

Uma atriz em busca da própria cura

Armando Antenore
“Eu poderia me embranquecer, caso desejasse. Se não tomo sol, fico quase branca. Se aliso loucamente o cabelo… Só que não me interessa! É um gesto político me afirmar negra”
“Eu poderia me embranquecer, caso desejasse. Se não tomo sol, fico quase branca. Se aliso loucamente o cabelo… Só que não me interessa! É um gesto político me afirmar negra” FOTO: ELLA DÜRST_2018

Primeiro, as lâmpadas do pequeno teatro carioca se apagaram e todos permanecemos na escuridão por uns trinta segundos. Depois, quando o palco se iluminou tenuamente, pudemos divisar um rapaz negro e esguio, que entrava em cena pela lateral direita, conduzindo algo como… um carrinho de bebê? Sim, um carrinho de bebê, ainda que dos mais extravagantes. Sob a luz tímida, parecia bem maior do que os habituais. À medida que o breu diminuía, a magnitude e a estranheza do carrinho se confirmavam. Era cor-de-rosa, com um design antiquado e uma bexiga de aniversário pendurada na parte de trás. O balão, inflado, estampava a inscrição “A babá quer passear”, manuscrita de um jeito quase relapso. Embora se vestisse muito informalmente, o rapaz empurrava o carrinho com alguma solenidade. De camiseta, jeans, chinelos e tranças afro, deu uma volta pelo palco, agora completamente iluminado, e estacionou no fundo, perto dos bastidores.

Encolhida dentro do carrinho, uma moça de cabelos longos, crespos e soltos – também negra – lia um anúncio em voz alta. “Procuramos uma babá profissional para cuidar de criança com 3 anos e para limpar, lavar, secar, dobrar, enxaguar, estender, arrumar, torcer, organizar, recolher, desempoar, desencardir, catar, cortar, coar, servir”, listou, enquanto rolava as palavras na tela de um smartphone. “Somos exigentes. Requisitos: experiência comprovada e boas referências. Não ter vício de cigarro. Não ter vício de bebida. Não ter vício de celular (proibido o uso nos dias de trabalho). Ser pontual, responsável e zelosa. Que saiba preparar, limpar, lavar, secar, dobrar, enxaguar, estender, arrumar, torcer, organizar, recolher, desempoar, desencardir, catar, cortar, coar, servir. Que saiba alimentar, banhar e cativar as crianças. Que saiba realmente brincar com as crianças. Que saiba mergulhar no mundo das crianças. Que não tenha filhos pequenos. Que seja magra e jovem. Que seja discreta e educada. Que evite falar no serviço. Que evite faltar ao serviço. Que tenha disponibilidade para viajar, limpar, lavar, secar, dobrar, enxaguar, estender, arrumar, torcer, organizar, recolher, desempoar, desencardir, catar, cortar, coar, servir. Servir. Servir.”

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Armando Antenore

Armando Antenore, jornalista, é editor da piauí

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #2: As chances de Ciro, o desmanche da Venezuela e uma encrenca chamada Bolsonaro

No podcast de política da piauí, Fernando de Barros e Silva, Malu Gaspar e José Roberto de Toledo discutem a campanha presidencial no Brasil e a eleição de Nicolás Maduro

A quem faz cinema no Brasil

Reflexões sobre os impasses da profissão, nas palavras de Dziga Vertov

A marca de Roth

Influência do autor de O Complexo de Portnoy, que morreu aos 85 anos em Nova York, é cada vez mais poderosa

“Me deixe fora desse balaio”

Conheça a rotina e o pensamento de Muniky Moura, a eleitora “nem nem” – que, como 43% do eleitorado, rejeita Lula e Bolsonaro e costuma decidir a eleição

Político mais popular no Facebook não fala de política na rede

Deputado federal baiano Irmão Lázaro atribui seus 8,5 milhões de seguidores a não postar sobre o que faz no Congresso: “É uma gritaria”

Um estudante contra o presidente

Garoto de 20 anos fala na cara de Daniel Ortega que ele é o responsável por 58 mortos na repressão aos protestos na Nicarágua e discurso viraliza. À piauí, o estudante se diz ameaçado

A Batalha de Argel, Um Filme Dentro da História – interessante e excessivo

Realização tardia e bem-sucedida do neorrealismo parece um documentário, mas é encenado do primeiro ao último plano

Foro de Teresina #1: justiçamento, abraço de gambá e túnel do tempo

Confira a estreia do podcast de política da rádio piauí com Fernando de Barros e Silva, Malu Gaspar e José Roberto de Toledo. A partir de hoje, o Foro vai ao ar toda quinta-feira, às 17h

O racismo como razão de voto

Um roteiro para entender a pesquisa mais reveladora feita sobre a eleição de Trump – e o que ela diz sobre o pleito no Brasil em 2018

Com candidato preso, PT deixa de aparecer para 400 mil eleitores na tevê e internet

Partido já perdeu mais de quatro horas de exposição em debates e entrevistas na televisão aberta desde a prisão de Lula

Mais textos