questões semânticas

A sua melhor tradução

Um glossário para entender a fala dos morros cariocas, segundo a prosa do escritor Geovani Martins

Camila Zarur
20abr2018_18h37
“Eu fico de bobeira quando dou um rolé na pista e vejo que nego não sabe de nada que acontece aqui dentro”, escreve Geovani Martins em seu livro de estreia
“Eu fico de bobeira quando dou um rolé na pista e vejo que nego não sabe de nada que acontece aqui dentro”, escreve Geovani Martins em seu livro de estreia ILUSTRAÇÃO: JOÃO BRIZZI

O livro de estreia de Geovani Martins teve seus direitos vendidos para nove países, com versões para sete idiomas, do inglês ao chinês, passando pelo espanhol, alemão, francês, italiano e holandês. Os tradutores terão trabalho. Em O Sol na Cabeça, com o domínio de quem cresceu na Rocinha e vive no Vidigal, Martins incorpora à literatura o léxico e a sintaxe dos morros cariocas, combinando-os com o português formal. De 75 palavras e expressões analisadas pela reportagem, 55 ou não estão no dicionário ou expressam no livro significados diferentes do que consta no Houaiss.

Já no conto de abertura do volume, “Rolézim”, ao descrever a praia num domingo, Martins diz que ela está “lombrada”. A palavra não é dicionarizada. Segundo o autor, indica uma situação tensa – tensão provocada pela presença dos “cu azul”.

piauí traz a seguir uma seleção de 20 expressões de O Sol na Cabeça, acompanhadas de explicações do autor sobre seu significado. Esse trabalho de tradução deve ser entendido dentro de seus limites. Ele é mais uma curiosidade jornalística do que uma tentativa de oferecer a interpretação de um texto literário que extrai sua força não apenas do uso inusitado da língua, mas da escolha do ângulo com que observa a realidade, do efeito várias vezes ambíguo das palavras, do ritmo da prosa.

BACA

Definição do autor: A palavra é uma forma reduzida de bacanal.

Trecho do livro: “Ela disse que morria de tesão vendo homem de farda, que já tinha sonhado com ele várias vez e acordado molhadinha (…). Os outros cana queria ir atrás, achando que ia rolar um baca.”

BERIMBOLAR

Definição do autor: Quando há alguma confusão ou problema.

Trecho do livro: “Demorou muito pro bagulho berimbolar de verdade, não. (…) Quando os vagabundo se entocou pros polícia entrar, bagulho virou terra de ninguém, menó.”

CAXANGA

Definição do autor: Casa.

Trecho do livro: “Acordei tava ligado o maçarico! Sem neurose, a minhacaxanga parecia que tava derretendo. Não dava nem mais pra ver as infiltração na sala, tava tudo seco.”

CU AZUL

Definição do autor: Polícia Militar, por causa da cor da farda. Relaciona-se com os apelidos dados a facções criminosas do Rio Comando Vermelho e Terceiro Comando, sendo, respectivamente, cu vermelho e três cu. No linguajar, Amigo dos Amigos é chamado de Adelaide.

Trecho do livro: “Tem mais é que encher esses cu azul de bala.”

DAR BAQUE

Definição do autor: Aparecer ou ir em algum lugar. Pode significar operação policial ou troca de tiros se falado no contexto policial.

Trecho do livro: “Essa polícia é tudo covarde mermo, dando baque no feriado, com geral na rua, em tempo de acertar uma criança.”

DAR UM BELENGO

Definição do autor: Cheirar cocaína.

Trecho do livro: “O caô era que ele queria ficar morgando em casa invés de partir com nós. (…) Sorte foi que Vitem conseguiu instigar ele a dar um belengo pra ficar na atividade.”

DAR UM DOIS

Definição do autor: Fumar maconha.

Trecho do livro: “Tinha dois menó ali perto de nós com mó cara de quemdá um dois.”

DAR UM ROLÉ NA PISTA

Definição do autor: Ir no asfalto, na área dita como cidade em oposição ao morro. Também pode ser usado quando alguém está solteiro, “está na pista”.

Trecho do livro: “Eu fico de bobeira quando dou um rolé na pista e vejo que nego não sabe de nada que acontece aqui dentro.”

DESENROLO

Definição do autor: Conversar com o intuito de persuadir ou seduzir alguém. Serve também para resolver algum problema, como em “desenrolar”.

Trecho do livro: “Calote pra nós é lixo, tu tá ligado, o desenrolo é forte.”

ENDOLA

Definição do autor: Palavra derivada de endolação, o processo de pesagem e embalo das drogas.

Trecho do livro: “Até então tava geral na merma meta: duro, sem maconha e querendo curtir uma praia. A salvação foi que o Teco tinha virado a noite dando uma moral na endola, aí ganhou uns baseado.”

ESCALDAÇÃO

Definição do autor: Situação em que há desconfiança. Tem ligação com a expressão “gato escaldado”.

Trecho do livro: “Quando a UPP invadiu o morro, eram foda pra comprar bagulho. Maior escaldação; ninguém queria botar a cara pra vender, só tinha criança trabalhando de vapor.”

DE BUCHA

Definição do autor: Ser feito de otário ou usado como bode expiatório. Uma situação injusta ou que aconteceu à toa.

Trecho do livro: “Dois menó passou voando e levaram as mochila com tudo dentro. Os play ficou de bucha, com o celular na mão, panguando. Aí passou mais um menó e levou o celular também.”

LOMBRADA

Definição do autor: Situação tensa. Deriva do verbo lombrar, que significa que algo deu errado. Em outros estados, pode significar alguém famoso. Entre usuários de maconha, significa alguém que está sob o efeito da droga.

Trecho do livro: “(…) o rasta já tinha dado o papo que a praia tava lombrada”.

MEMEIA

Definição do autor: Frescura.

Trecho do livro: “Antigamente vagabundo fumava até na folha de caderno, papel de pão. Agora é essa memeia.”

NEURÓTICA DE PISTA

Definição do autor: Mulher sagaz e com certa experiência de vida.

Trecho do livro: “Mas não podia ser só gostosa não, tinha que ser uma mina sinistra, neurótica de pista.”

PALMEAR

No dicionário: Pegar ou apanhar algo, ou aplaudir.

Definição do autor: Olhar ou observar.

Trecho do livro: “Geral falou que na praia ele ia ficar tranquilão, só palmeando as novinhas.”

PANGUANDO

Definição do autor: Estar desatento, alheio ao que acontece em volta.

Trecho do livro: “Eu já tinha palmeado pelo menos uns dois menózim que tavam escoltando eles (…). E eles lá, panguando, achando que o bagulho é disneylândia.”

SEDANAPO

Definição do autor: Quando, na falta de seda, se usa guardanapo para enrolar um baseado.

Trecho do livro: “Só um sedanapo com o amigo da barraca que tava na intenção de dar um dois com nós. Foda é que ninguém quer saber de napo, bagulho agora é só smoking.”

RATARIA

No dicionário: Um conjunto de ratos.

Definição do autor: Alguém que, como um rato, tem uma malícia para sobreviver na cidade e em situações adversas. Como explicou Martins à piauí, “o rato é um bicho ativo, na luta pela sobrevivência sempre. E ‘rataria’ vem disso, de ter essa esperteza. O rato escapa de tudo e briga um milhão de vezes.”

Trecho do livro: “Depois fiquei pensando nos menózim que saíram no pinote. Os menó era tudo rataria (…).”

XISNOVAR

Definição do autor: Denunciar alguém.

Trecho do livro: “Eu sei que Luiz não era X9, meu irmão nunca que ia xisnovar ninguém (…).”

Camila Zarur (siga @camilazarur no Twitter)

Camila Zarur é jornalista. Trabalhou na piauí e no jornal O Globo

Leia também

Relacionadas Últimas

Os menó vai à praia

Ouça o conto Rolézim, de Geovani Martins, na voz do próprio autor

Rolézim

Nós tava tranquilão andando, quase chegando no ponto já, aí escoltamos os canas dando dura nuns menó

Meu Querido Filho – riscos da obsessão paterna

Filme tunisiano reflete sobre a relação entre pais extremados e seus rebentos

“Despetização” de Onyx tem só 1% de petistas

Em uma semana, governo Bolsonaro exonera 293 de cargos de confiança para eliminar quem "tem marca ideológica clara”, mas só 35 são filiados a partidos, dos quais três, ao PT

Foro de Teresina #34: O bate-cabeça de Bolsonaro, os novos escândalos do governo e a crise no Ceará

Podcast da piauí analisa os fatos mais recentes da política nacional

Mourão não deixou filho desistir de promoção

Vice-presidente insistiu para Antônio Rossell Mourão aceitar cargo no BB, mesmo após a repercussão negativa: "Isso lhe pertence"

Sem médico, até repórter vira “doutor” para indígena na Amazônia

No Alto Solimões, onde 229 aldeias abrigam 70 mil índios de sete etnias, nenhum brasileiro apareceu para as vagas deixadas pelos cubanos

Espanto e incredulidade entre nós

Cultivar o passado ou lidar com a realidade: formas de reagir a novos tempos na política

Foro de Teresina #33: A posse de Bolsonaro, a posse de armas e a dura vida dos estados

Podcast da piauí analisa os primeiros passos do novo presidente e dos governadores

Na piauí_148

A capa e os destaques da revista que começa a chegar às bancas nesta quinta-feira

André Esteves reaparece na ala VIP da posse de Guedes

Ausente da capital federal desde que foi preso em 2015, dono do BTG Pactual circula entre convidados importantes do ministro da Economia

Culpa – clausura e complexidade na tela

Graduados da Escola de Cinema da Dinamarca fazem filme exemplar em treze dias

Mais textos
2

“Despetização” de Onyx tem só 1% de petistas

Em uma semana, governo Bolsonaro exonera 293 de cargos de confiança para eliminar quem "tem marca ideológica clara”, mas só 35 são filiados a partidos, dos quais três, ao PT

3

Mourão não deixou filho desistir de promoção

Vice-presidente insistiu para Antônio Rossell Mourão aceitar cargo no BB, mesmo após a repercussão negativa: "Isso lhe pertence"

4

Sem médico, até repórter vira “doutor” para indígena na Amazônia

No Alto Solimões, onde 229 aldeias abrigam 70 mil índios de sete etnias, nenhum brasileiro apareceu para as vagas deixadas pelos cubanos

5

Juventude bolsonarista

A extrema direita sai do armário no Brasil

7

Sofística e polícia política

Olavo de Carvalho, Bolsonaro e a ideologia

8

Povos da megadiversidade

O que mudou na política indigenista no último meio século

9

Sem herdeiros

Obra-prima da tevê, Família Soprano influenciou pouco os seriados posteriores

10

Foro de Teresina #34: O bate-cabeça de Bolsonaro, os novos escândalos do governo e a crise no Ceará

Podcast da piauí analisa os fatos mais recentes da política nacional