festival

Beatriz Adrián e o desafio da cobertura política na Venezuela hoje

Repórter foi detida ao cobrir a tentativa de prisão de Juan Guaidó

26ago2019_16h27

A venezuelana Beatriz Adrián abre a programação do sexto Festival Piauí de Jornalismo numa conversa com Fernando de Barros e Silva, diretor de redação da piauí, e Edilamar Galvão, coordenadora do curso de Jornalismo da Faap.

Adrián reporta a situação do seu país como correspondente para o canal colombiano Caracol Televisión  e mantém um canal no YouTube desde 2014.

Em meio a grave crise política e financeira pela qual passa a Venezuela, ela foi detida ao cobrir a prisão de Juan Guaidó, líder do Congresso, no começo do ano, no que foi um dos casos mais recentes de tentativa de censura e ameaça ao trabalho de jornalistas no país.

Além deste ofício, Adrián é vice-presidente da empresa de crowdfunding solidário Dar y Recibir.



Leia Também

Relacionadas Últimas

César Batiz e o jornalismo independente na Venezuela

César Batiz trabalha em dois veículos da mídia independente em seu país: a plataforma de dados Poderopedia e o canal online El Pitazo. Batiz conversou com a repórter Carol Pires e com Simon Romero, correspondente do New York Times.

O inferno de Maracaibo

A vida cotidiana num país em ruínas

Notícias de Maracaibo

O dia a dia da crise venezuelana

O arroz chegou

Sobreviver é a principal preocupação dos venezuelanos

Acompanhe a transmissão ao vivo da segunda Maratona Piauí CBN de Podcast

Encontro está sendo transmitido em áudio e em vídeo nos sites e redes sociais da piauí e da CBN

A história e os bastidores do Foro de Teresina

Apresentadores relembram início do programa, que completa um ano esta semana

Conteúdo patrocinado e anunciantes estão entre os principais modelos de financiamento

Diretor da CBN diz que programas em áudio são caminho para formar novos ouvintes

Interação com o público ajuda a ganhar e manter audiência

Fidelidade de ouvintes pode se transformar em financiamento coletivo e ajudar a manter podcasts

Os desafios e a rotina de contar histórias em podcast

Roteiro capaz de amarrar narrativas é segredo para um bom programa; dificuldade de financiamento é cotidiana

Mais textos
1

O lobby da capivara

Como nasce um emoji

2

Natasha

Presente raro: a experiência metafísica e visionária de uma donzela russa, num conto que permaneceu guardado na Biblioteca do Congresso americano até o início deste ano, 31 anos após a morte do autor

3

“8 ½” – “O salto mortal de Fellini”

Escrito ao longo de onze anos e mantido inédito até ser incluído em “Exercícios de leitura”, o ensaio de Gilda de Mello e Souza “O salto mortal de Fellini”, relido depois da revisão de “8 1/2”, revela acuidade crítica incomum.

4

As búlgaras estão com tudo

Nada a ver com a sucessão de Lula

6

Padre Cícero sem perdão

A luta de um bispo para reabilitar o mais venerado líder religioso do Nordeste

8

Os cabelos do bigode do Imperador

A correspondência amorosa mais famosa do Brasil talvez seja aquela formada pelas cartas trocadas de 1822 a 1829 entre o Imperador D. Pedro I e sua amante, Domitilia de Castro Canto e Mello, elevada por ele ao titulo de Marquesa de Santos em 1826. Infelizmente, das prováveis centenas de cartas escritas pela Marquesa apenas um punhado foi conservado nos arquivos imperiais. Por sorte, quase todas as cartas do Imperador foram guardadas pela Marquesa, apesar dos pedidos de D. Pedro para que as destruísse. Todas estão hoje publicadas (94 das quais no ano passado), totalizando mais de trezentas.

9

Na montanha-russa do século

Paradoxos do progresso em Corumbá aos olhos de um intelectual refugiado do nazismo

10

Vidas literárias: Tolstói

A espantosa história de Tolstói, que cai em depressão ao constatar que é milionário