anais das redes

Ciro bate Haddad e Bolsonaro no Twitter durante debate na Globo

Em terceiro nas pesquisas, candidato do PDT liderou as menções na rede no embate de maior audiência entre os presidenciáveis

Marcella Ramos
05out2018_18h21
ILUSTRAÇÃO: PAULA CARDOSO

Durante o debate na Globo, o último antes do primeiro turno e o de maior audiência, o candidato mais citado no Twitter foi Ciro Gomes. Em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de votos, o pedetista ficou à frente tanto de Fernando Haddad quanto de Jair Bolsonaro – que se ausentou do debate, mas teve entrevista transmitida na Record ao longo da primeira meia hora do embate entre os candidatos. Segundo levantamento da rede social, Ciro foi o mais mencionado, seguido de Bolsonaro. Guilherme Boulos, foi o terceiro presidenciável mais comentado da noite, atrás de Ciro e Bolsonaro. Haddad ficou em quarto lugar.   

Às 22 horas de quinta-feira, quando o debate começou, Bolsonaro liderava as citações na rede social e continuou assim até por volta das 22h40, depois que acabou sua entrevista na Record. A partir de então, Ciro Gomes, terceiro colocado nas pesquisas de intenção de votos, superou os rivais e passou a ser mais citado. Ausente do debate, o candidato do PSL foi lembrado com frequência pelos presidenciáveis. Após o término do embate entre os candidatos, o ex-capitão voltou ao topo das citações no Twitter, no início da madrugada, por volta das 2 horas.

O grupo que geralmente impulsiona a discussão sobre Ciro no Twitter – como se observa em levantamentos da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas – é um que costuma se unir contra o candidato do PSL, dono da maior rejeição da disputa. Para parte desse grupo, o candidato do PDT seria a melhor opção contra Bolsonaro, porque ele não “polariza” com o adversário tanto quanto o candidato petista. Quando a rejeição de Haddad deu um salto de 11 pontos na pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira, 1º de outubro, o grupo voltou a mencionar Ciro como alternativa. Essa narrativa se intensificou até ele ser o mais comentado na rede social durante o debate, e se tornar o segundo presidenciável mais falado durante a última semana de campanha do primeiro turno, atrás apenas de Jair Bolsonaro.

O momento de popularidade de Ciro Gomes nas redes também pode ser notado em seu perfil no Facebook. A última semana da disputa presidencial é a melhor do candidato em termos de engajamento nessa rede. Ao todo, o pedetista teve 1,6 milhão de interações em sua página. Isso o coloca à frente de Haddad, por exemplo. Ele continua atrás do candidato do PSL, com mais de 11 milhões de interações. João Amoêdo, do Novo, também está à frente, com 3 milhões de interações. No Google Trends, a realidade desta semana é mais parecida com a das pesquisas de intenção de votos: Bolsonaro lidera, seguido de Haddad e Ciro. O ex-capitão, no entanto, é 5,5 vezes mais buscado que o candidato petista e 8,6 vezes mais buscado que o candidato do PDT.

 

Haddad entrou oficialmente na disputa há menos de um mês, quando foi registrado como o candidato do PT, em 11 de setembro. Não demorou para o petista assumir o segundo lugar nas pesquisas de intenção de votos. No entanto, nos debates presidenciais, Haddad não empolga tanto quem comenta as discussões no Twitter. O primeiro debate do qual participou foi o da TV Aparecida, em 21 de setembro. Desde então, participou de outros três, incluindo o da Globo. Em nenhum deles foi o mais comentado – ficou atrás de Cabo Daciolo, do Patriotas em dois deles, na Record e no SBT,  e de Ciro Gomes em outros dois, no da TV Aparecida e no da Globo.

Os responsáveis pelos momentos mais comentados do debate da Globo foram dois candidatos que variam entre não pontuar e 2% de intenções de voto: Guilherme Boulos, do PSOL, e Álvaro Dias, do Podemos. Dias foi atração no início do programa, quando gastou o tempo da pergunta comentando que estava “feliz” por conhecer o apresentador William Bonner, e que ia enviar um bilhete a Lula, preso em Curitiba, pois ele seria “o verdadeiro candidato do PT”. Outro momento que chamou a atenção no debate foi o discurso de Boulos contra a ditadura, numa troca com o candidato petista.

Marcella Ramos (siga @marcellamrrr no Twitter)

Marcella Ramos é jornalista baseada no Rio de Janeiro.

Leia também

Últimas Mais Lidas

Utoya – 22 de Julho – enigma persistente

Filme ousa ao retratar atentado na Noruega sem pretender explicar suas razões

Nos tribunais, o lobby das bombas de insulina

Em cinco anos, a Justiça paulista favoreceu a fabricante Medtronic em 76% das decisões que deram o aparelho a diabéticos; conselho condena "relação antiética" entre médicos e empresa

Médicos de menos, as doenças de sempre

A história de quatro pacientes crônicos do sertão do Ceará que estão há um mês sem os tratamentos que precisam, após a saída dos profissionais cubanos do país

Foro de Teresina #31: O escândalo do motorista, o antiministro do Meio Ambiente e o barraco do PSL

O podcast da piauí analisa os fatos mais recentes da política nacional

Na Câmara, com o novo e o seminovo

Dois deputados em primeiro mandato – um novato autêntico e o herdeiro de seis gerações de parlamentares – contam sua preparação para sobreviver em Brasília

Bloqueio – caminhoneiros em greve

Incertezas retratadas no documentário são referência para entender as mudanças políticas no país

“Me fingi de morta e assim sobrevivi”

Sobrevivente da chacina da Catedral de Campinas reconstitui a cena da tragédia, protagonizada por um assassino de família católica praticante

Mulheres de “facção”

Sem emprego formal, costureiras trabalham até 14 horas por dia para intermediários da indústria da moda, as chamadas “facções”

Olavo interrompido

Guru do governo Bolsonaro tem participação na Cúpula Conservadora das Américas frustrada pelo meio que o fez famoso, a internet

Não é só pelos 6 centavos de euro

Quem são e o que pensam os “coletes amarelos” e como lideraram um movimento popular e populista que paralisa a França há três semanas

Mais textos
2

Rakudianai

A política, a prisão, o encontro com o crocodilo, o julgamento e meu pai: lembranças de quarenta anos atrás

3

A revolta conservadora

Bolsonaro será o líder de um governo antiestablishment

4

“Me fingi de morta e assim sobrevivi”

Sobrevivente da chacina da Catedral de Campinas reconstitui a cena da tragédia, protagonizada por um assassino de família católica praticante

6

Na Câmara, com o novo e o seminovo

Dois deputados em primeiro mandato – um novato autêntico e o herdeiro de seis gerações de parlamentares – contam sua preparação para sobreviver em Brasília

7

Os pequenos passos do astronauta Marcos Pontes

Em reunião com cientistas em Brasília, futuro ministro da Ciência e Tecnologia mostrou ainda não estar pronto para se despir do macacão de palestrante de autoajuda

8

Foro de Teresina #31: O escândalo do motorista, o antiministro do Meio Ambiente e o barraco do PSL

O podcast da piauí analisa os fatos mais recentes da política nacional

9

Nos tribunais, o lobby das bombas de insulina

Em cinco anos, a Justiça paulista favoreceu a fabricante Medtronic em 76% das decisões que deram o aparelho a diabéticos; conselho condena "relação antiética" entre médicos e empresa

10

Médicos de menos, as doenças de sempre

A história de quatro pacientes crônicos do sertão do Ceará que estão há um mês sem os tratamentos que precisam, após a saída dos profissionais cubanos do país