Allan de Abreu

(siga @allandeabreu1 no Twitter)

Repórter da piauí, é autor dos livros O Delator, Cocaína: A Rota Caipira e Cabeça Branca (Record)

histórias publicadas

O jogo do prende-e-solta
questões criminais

O jogo do prende-e-solta

Como o doleiro Chaaya Moghrabi escapou três vezes da prisão

Documentos inéditos revelam outra empresa de mãe de Aécio Neves em paraíso fiscal
open lux

Documentos inéditos revelam outra empresa de mãe de Aécio Neves em paraíso fiscal

Defesa de Inês Maria Neves Faria confirma que ela é beneficiária de holding em Luxemburgo desde 2018, mas não diz se a operação foi declarada à Receita Federal

Os 300 de Luxemburgo
open lux

Os 300 de Luxemburgo

Em paraíso fiscal europeu, brasileiros ou residentes no Brasil são beneficiários de empresas cujos ativos somam ao menos 723 bilhões de reais

anais da criminologia

"Eu vivo no compatível"

Um caso exemplar de corrupção dentro da Polícia Federal

Tortura, desaparecimento e morte
questões criminais

Tortura, desaparecimento e morte

A guerra de duas famílias pelos negócios do crime na fronteira

A polícia toma o poder
anais da linha-dura

A polícia toma o poder

Motins dentro das corporações, discurso justiceiro, benefícios legais e apoio de Bolsonaro fazem explodir o número de policiais civis e militares em cargos eletivos no Brasil

O banco imobiliário do PCC
anais do crime

O banco imobiliário do PCC

Esquema de compra e venda de imóveis da facção criminosa movimentou 100 milhões de reais em 28 anos

Cocaína em contêineres e suborno: as origens de André do Rap
guerra do PCC

Cocaína em contêineres e suborno: as origens de André do Rap

Livro Cocaína: A Rota Caipira reconstitui papel do traficante nos negócios do PCC pelo Porto de Santos muito antes de sua libertação pelo Supremo Tribunal Federal 

PCC na contramão da crise
guerra do PCC

PCC na contramão da crise

Capital de empresas ligadas à facção criminosa cresceu 29 vezes mais que a economia brasileira

Do Islã ao PCC
questões criminais

Do Islã ao PCC

Como um jovem condenado por terrorismo depois de trocar mensagens na internet sobre atentados foi recrutado pela facção criminosa mais poderosa do país