=igualdades

Com um MacBook Pro, argentino adquire o dobro de carne que um brasileiro

Amanda Gorziza e Renata Buono
04jun2021_18h02

Com a moeda brasileira desvalorizada, os produtos eletrônicos têm preços elevados por aqui – e são ainda mais caros na Argentina. Um MacBook Pro de 13 polegadas custa US$ 3.384 no país vizinho. Com esse valor, um argentino compra 525 kg de carne bovina. No Brasil, o computador da Apple também custa caro, US$ 1.957, mas compra a metade de carne, 211 kg. Ou seja, se um brasileiro comprar um computador da Apple, estará deixando de comprar menos carne. Os dados são do site GlobalProductPrices.com, que rastreia os preços de varejo dos mais variados produtos nos países.

O Apple Watch 6, Iphone 12 e Playstation 5 também custam mais caro na Argentina, na comparação com todos os outros países pesquisados. O relógio da Apple custa US$ 1.131- 90% acima da média global.

*Nota metodológica: o preço dos produtos pode variar em função da taxa de conversão para o dólar norte-americano; aqui foi usada a conversão pelo dia 25 de maio.

Fonte: GlobalProductPrices.com

Amanda Gorziza (siga @amandalcgorziza no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

A noite mais fria, na capital mais fria

As histórias de quem vive nas ruas geladas de Curitiba  - e por que muitos ainda recusam acolhimento nos abrigos públicos

O limbo brasileiro em Cannes

No maior festival de cinema do mundo, protestos contra Bolsonaro e apreensão com o futuro dos filmes no país

Após o fogo, o remendo

Um dia depois do incêndio em galpão da Cinemateca Brasileira, governo publica chamada aguardada há quase um ano para tentar resolver crise da instituição; proposta inclui até cobrança de taxa para quem quiser guardar filmes no acervo

Foro de Teresina #161: Bolsonaro, o Arenão e suas obras

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Cinemateca Brasileira em chamas

Filmes e documentos foram relegados a abandono criminoso; incêndio de hoje se tornou tragédia anunciada

A farra das emendas pix no Congresso

Deputados e senadores já liberaram mais de 1 bilhão de reais em dinheiro público transferido diretamente para o caixa de estados e municípios, sem finalidade definida nem transparência

‘Bico’ proibido emprega ao menos 47 mil guardas e policiais

Pesquisa inédita revela que 6% dos profissionais da segurança pública admitem trabalhar por fora em segurança privada - o que é barrado por lei

Mais textos