Festival Piauí GloboNews de jornalismo

Veja como foi o segundo dia do Festival Piauí GloboNews de Jornalismo

Último dia do festival contou com nomes como David Fahrenthold, vencedor do Pulitzer 2017, e Jacob Weisberg, presidente do Slate Group e criador do Trumpcast

08out2017_10h02
FOTO: TUCA VIEIRA

Neste domingo aconteceu o segundo dia do Festival Piauí GloboNews de Jornalismo. Com mediação de jornalistas da piauí, convidados debateram desde sábado o tema “O que aprendi”. A cobertura do evento foi feita através da fanpage do evento, do perfil no Twitter e nos Stories do perfil da piauí no Instagram. Veja também como foi o dia de abertura do festival em nosso site.

A programação começou com uma conversa entre a jornalista russa Yevgenia Albats e os mediadores Rafael Cariello, da piauí, e André Petry, da Veja. Albats é editora-chefe da revista de política The New Times e foi a primeira a denunciar na imprensa de seu país as irregularidades cometidas pela KGB, o serviço secreto da extinta União Soviética.

Michael Oreskes, vice-presidente de notícias e diretor editorial da rádio americana NPR, deu continuidade à programação do dia em conversa mediada pela repórter da piauí Paula Scarpin e pelo jornalista da CBN Ricardo Gandour. Com faro e talento para entender como as novas mídias operam, foi sob o comando de Oreskes que a NPR lançou seus podcasts de sucesso, como o NPR Politics Podcast e o Embedded.

Jacob Weisberg, presidente do conglomerado de mídia digital americana The Slate Group, conversou com João Moreira Salles, editor da piauí, e João Gabriel de Lima, ex-jornalista da Época. Seu produto mais conhecido é a revista Slate, em que milhões de pessoas acessam conteúdos de política, arte, cultura, esporte e notícias em geral. Em 2016, Weisberg lançou uma série de podcasts chamada Trumpcast, que se propõe a investigar, analisar e compreender o mandato do presidente americano por meio de entrevistas.

O 4º Festival Piauí GloboNews de Jornalismo se encerrou com uma conversa entre Daniela Pinheiro, da piauí, Bernardo Mello Franco, da Folha de S.Paulo, e David Fahrenthold, do Washington Post. Sua investigação sobre as falsas doações de Trump a instituições de caridade lhe rendeu o Prêmio Pulitzer de Reportagem Nacional deste ano.

Leia Também

Últimas Mais Lidas

Acompanhe a transmissão ao vivo da segunda Maratona Piauí CBN de Podcast

Encontro está sendo transmitido em áudio e em vídeo nos sites e redes sociais da piauí e da CBN

A história e os bastidores do Foro de Teresina

Apresentadores relembram início do programa, que completa um ano esta semana

Conteúdo patrocinado e anunciantes estão entre os principais modelos de financiamento

Diretor da CBN diz que programas em áudio são caminho para formar novos ouvintes

Interação com o público ajuda a ganhar e manter audiência

Fidelidade de ouvintes pode se transformar em financiamento coletivo e ajudar a manter podcasts

Os desafios e a rotina de contar histórias em podcast

Roteiro capaz de amarrar narrativas é segredo para um bom programa; dificuldade de financiamento é cotidiana

Mais textos
2

Resultado de teste de covid-19, só um mês depois do enterro

Se Brasil repetir padrão chinês, hospitalizações por síndromes respiratórias graves apontam para 80 mil casos no país

3

Não tenho resposta para tudo

A vida de uma médica entre seis hospitais e três filhos durante a pandemia

4

Direito à despedida

As táticas de médicos e famílias para driblar a solidão de pacientes de covid-19 nas UTIs

6

Onze bilhões de reais e um barril de lágrimas

Luis Stuhlberger, o zero à esquerda que achava que nunca seria alguém, construiu o maior fundo multimercado fora dos Estados Unidos e, no meio da crise, deu mais uma tacada

8

E se ele for louco?

Suspeitar da sanidade mental de Bolsonaro não permite encurtar caminho para afastá-lo; saída legal é o impeachment

9

Separados pelo coronavírus

Ao falar contra isolamento, Bolsonaro surpreende até Bannon, favorável à quarentena total; no Brasil, cúpula do Congresso teme autoritarismo e evita confronto direto

10

Uma esfinge na Presidência

Bolsonaro precisa do impeachment para fazer sua revolução