=igualdades

De junho a setembro de 2020, o lixo retirado da Baía de Guanabara foi o equivalente ao peso de 44 ônibus

Amanda Gorziza, Lianne Ceará e Renata Buono
26fev2021_17h59

O descarte incorreto de lixo no Rio de Janeiro registrou um aumento significativo durante a pandemia. De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), entre junho e setembro de 2020, foram coletadas 697 toneladas de resíduos orgânicos da Baía de Guanabara – isso equivale ao peso de 44 ônibus urbanos vazios. No período entre os dias 12 de março e 11 de maio de 2020, haviam sido recolhidas 350 toneladas de detritos. 

Os detritos entopem as galerias subterrâneas e chegam aos rios, onde param nas ecobarreiras. De acordo com o Inea, existem dezessete ecobarreiras que evitam com que o lixo se disperse na Baía.

“Infelizmente os rios que chegam na Baía em sua maioria são valões de esgoto e lixo, e todo esse material tem como destino final a Baía. Se não houvesse a ação das ecobarreiras nos principais rios, a situação da baía seria ainda pior do que já o é”, afirmou o biólogo Mário Moscatelli, em entrevista ao G1

Fonte: Atlas do plástico 2020 da Fundação Heinrich Böll (a partir de dados do Inea)



Amanda Gorziza (siga @amandalcgorziza no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Lianne Ceará (siga @lianneceara no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

“Queremos testar medicamento contra Covid no Brasil”

Brasileiro reproduz em laboratório de universidade americana anticorpos que combatem coronavírus

Bolsonaros cumprem quarentena

Enquanto o presidente sabota medidas para frear o coronavírus no país, seus parentes se beneficiam do lockdown em Eldorado, no interior paulista

Isolamento militar

Exército contrariou negacionismo de Bolsonaro, exigiu máscara, impôs distanciamento contra a Covid - e isso custou cargo a general

Foro de Teresina #145: Com fome, com sufoco, com tudo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Combate à corrupção exige democracia

Após extinção da Lava Jato, procuradores da força-tarefa no Rio fazem balanço, apontam erros e dizem que trabalho não acabou 

Mais textos