Na revista

piauí_174

Março_2021

ou
Ver Todas

vultos da República

O fabulador oculto

A trajetória e os métodos de Evaristo de Miranda, o ideólogo da política ambiental de Bolsonaro

Bernardo Esteves

dossiê piauí

Arrabalde

Parte V_O reencontro

João Moreira Salles

tempos da peste

Prato vazio

Como a pandemia ressuscitou o fantasma da fome entre os pobres

Tiago Coelho

anais da medicina

“A gente acolhe”

A saga de um obstetra e a hipocrisia brasileira sobre o aborto

Angélica Santa Cruz

carta do Japão

Fukushima: o elo perdido

O desastre nuclear ocorrido há dez anos e seu impacto em uma família nipo-brasileira

Juliana Sayuri

questões obscenas

Putaria com final feliz

A literatura erótica feita por mulheres se expande no Brasil

Bruna Maia

questões democráticas

O presente de uma ilusão

Estamos em negação sobre o negacionismo?

Rodrigo Nunes

réplica

Uma visão nebulosa e conservadora

O texto Parece revolução, mas é só neoliberalismo é uma peça preconceituosa

Demétrio Toledo, Regimeire Maciel, Maria Carlotto e Flávio Francisco

chegada

Boca de esponja

Como o bolo de Bolsonaro nos comeu

Fernando de Barros e Silva

despedida

“Que presepada, minha irmã…”

Como Daiana Ferreira levou o balé clássico para um conglomerado de favelas cariocas

Armando Antenore

the piauí herald

Assine o Bolsoplay!

As casas do BSB21 por dentro!

Bozinho

cartuns

Cartuns de Nani

Nani

esquina

A família santa

Pai, mãe e filha governam a cidade de Parnaíba, no Piauí

Luigi Mazza

Desmame

Os bichos do Pantanal voltam a se alimentar da flora

Roberto Kaz

Cores nas aulas

Projeto didático explica o passado e o presente dos pretos

Marcos Amorozo

Palavra, história, alma

O vocabulário kaiowá é fixado pela primeira vez em livro

Leandro Aguiar

Salmão, aqui, não!

A guinada de um chef cuiabano durante a pandemia

João Batista Jr.

No fear

O estilo indômito do enxadrista brasileiro Alexandr Fier

Gustavo Zeitel

Apaga o fogo

Uma ecovila hare krishna aberta ao público no interior de Minas

Bruno Cirillo

anais do crime

O fantasma

A Polícia Federal sai à caça do maior traficante de drogas do Brasil

Allan de Abreu

tempos da peste

Abracildo, Pintassilgo e Lilica

Era uma vez três crianças com Covid-19 que se mudaram para a casa do pai e da madrasta

Angelica Lino e Renato Terra

memória

Oásis ma non troppo

As portas da sorte me aguardavam na Guiné-Bissau e eu não sabia

Edgard Telles Ribeiro

poesia

Raça não é raça

Nina Rizzi

colaboradores

Pomb [Capa] é artista visual e muralista.

 

Fernando de Barros e Silva [Boca de esponja, p. 6] é repórter da piauí e apresentador do podcast Foro de Teresina.

 

Bernardo Esteves [O fabulador oculto, p. 14], repórter da piauí, é autor do livro Domingo É Dia de Ciência (Azougue Editorial).

 

Nani [Cartuns a partir da p. 20], cartunista, escritor e roteirista de humor, é autor do livro A Menina que Acordava as Palavras (Melhoramentos).

 

Rodrigo Nunes [O presente de uma ilusão, p. 22], professor de filosofia moderna e contemporânea na PUC-Rio, é autor de Organisation of the Organisationless: Collective Action After Networks (Mute). Publicado originalmente no site publicbooks.org, o artigo integra a série Crisies Cities, a ser editada em livro pela Columbia University Press. Tradução de Heloisa Jahn.

 

Demétrio Toledo [Uma visão nebulosa e conservadora, p. 26] é professor de relações internacionais. Artigo escrito em coautoria com Regimeire Maciel, professora de políticas públicas; Maria Carlotto, professora de relações internacionais; e Flávio Francisco, professor de relações internacionais – todos eles na Universidade Federal do ABC.

 

Bozinho [Assine o Bolsoplay!, p. 30] é diretor de programação do Bolsoplay. Seus ghost-writers são os brothers Roberto Kaz e Afonso Cappellaro, redatores do conceituado periódico The piauí Herald.

 

Tiago Coelho [Prato vazio, p. 32] é repórter da piauí e roteirista de cinema.

 

Angelica Lino [Abracildo, Pintassilgo e Lilica, p. 38], jornalista especializada em literatura, é colaboradora da revista BulaRenato Terra é roteirista de Conversa com Bial, colunista da Folha de S.Paulo e diretor dos documentários Narciso em FériasUma Noite em 67. É autor de Diário da Dilma (Companhia das Letras). Desenho de Lilica.

 

João Moreira Salles [O reencontro, p. 42], documentarista, é editor fundador da piauí. Dirigiu SantiagoEntreatos, Notícias de uma Guerra Particular e Nelson Freire. Ilustrações de Vito Quintans. Vinhetas de Carla Caffé. Edição de texto de Denise Pegorim.

 

Angélica Santa Cruz [“A gente acolhe”, p. 54] dirigiu oito títulos da Abril. Foi editora-executiva da revista Época e do Diário de São Paulo. Fotografia de Heudes Regis.

 

Juliana Sayuri [Fukushima: o elo perdido, p. 60] é jornalista e historiadora brasileira radicada no Japão. É autora de Diplô: Paris – Porto Alegre (Com-Arte).

 

Allan de Abreu [O fantasma, p. 64], repórter da piauí, é autor de O Delator e Cocaína: A Rota Caipira (Record). O texto integra o livro Cabeça Branca: A Caçada ao Maior Narcotraficante do Brasil, a ser lançado neste mês pela Record.

 

Bruna Maia [Putaria com final feliz, p. 70] é jornalista, roteirista e cartunista, autora de Parece que Piorou (Companhia das Letras). Ilustração de Germana Viana.

 

Edgard Telles Ribeiro [Oásis ma non troppo, p. 76] é escritor e diplomata aposentado. Publicou treze livros de ficção, entre eles, Uma Mulher Transparente e O Impostor (Todavia).

 

Nina Rizzi [Poesia, p. 81] é poeta, tradutora, pesquisadora e professora. Publicou Quando Vieres Ver um Banzo Cor de Fogo (Patuá). Ilustração de Eve Queiróz.

 

Armando Antenore [“Que presepada, minha irmã…”, p. 85], editor da piauí, é autor de Sorri, Lia! (SM).

 

Ilustrações de Esquina por Andrés Sandoval.