Dança macabra, de Caio Borges

_186

Março 2022

COLABORADORES

Caio Borges

[Capa] é artista gráfico. Ilustrou o livro De A a Z, Eróticas, de Sheila Hafez, pelo selo Laranja Original (Neotropica).

Ana Clara Costa

[O antifenômeno, p. 14], repórter da piauí, foi editora de política na Veja, editora do Globo em Brasília e editora-chefe na Época.

João Gabriel de Lima

[O irmão húngaro, p. 22], colunista de O Estado de S. Paulo, é professor da Faap e autor de O Burlador de Sevilha (Companhia das Letras). Ilustração de Beto Nejme.

Matheus de Moura

[“Sei quando um país está em crise”, p. 32], jornalista, é autor de O Coronel que Raptava Infâncias (Intrínseca). Fotografia de Fabio Teixeira.

João Pinheiro

[Barrela, p. 41], artista visual e quadrinista, publicou Burroughs (Veneta). Trecho da adaptação em HQ da peça Barrela, de Plínio Marcos, livro a ser lançado em maio pela Brasa Editora, como parte da Coleção Plinião em Quadrinhos.

Fernando Eichenberg

[O guru do datagrama, p. 46] é jornalista, correspondente internacional em Paris desde 1997 e autor dos livros de entrevistas Entre Aspas, vol. 1 e 2 (L&PM).

Armando Antenore

[A dor como herança, p. 60], editor da piauí, é autor de Júlia e Coió, Rita Distraída e Sorri, Lia! (Edições SM).

Miriam Alves

[Poesia, p. 67], poeta e escritora, publicou Maréia (Malê). Trechos do livro Poemas Reunidos, a ser lançado neste mês pela Coleção Círculo de Poemas, das editoras Fósforo e Luna Parque. Ilustrações de Allan Matias.

Luigi Mazza

[O pioneiro, p. 74] é repórter da piauí.

Fernando de Barros e Silva

[A eternidade brasileira, p. 6] é repórter da piauí e apresentador do podcast Foro de Teresina. Ilustração de Laerte.

Reinaldo Figueiredo

[Cartuns a partir da p. 16] é desenhista, humorista, músico carioca e um dos criadores do Casseta & Planeta. Publicou, entre outros, o livro Paradas Musicais (Mórula).

Acauam Oliveira

[O paraíso do racismo, p. 28], doutor em literatura brasileira pela USP, é professor da pós-graduação em letras da Universidade de Pernambuco e autor da introdução ao livro Sobrevivendo no Inferno, dos Racionais MC’s (Companhia das Letras). Rafael Mantovani, coautor do artigo, é professor do Departamento de Sociologia e Ciência Política da Universidade Federal de Santa Catarina e autor do livro Modernizar a Ordem em Nome da Saúde: A São Paulo de Militares, Pobres e Escravos (1805-1840) (Fiocruz). Tela de Antonio Obá.

Thais Bilenky

[No reino dos interinos, p. 36], repórter da piauí, foi correspondente da Folha de S.Paulo em Nova York e repórter de política em São Paulo e Brasília. Ilustração de Roberto Negreiros.

Paulo Lyra

[O triângulo brasileiro, p. 44] é jornalista. Atuou em jornais, revistas e agências do Brasil e do exterior, bem como em organizações de meio ambiente e saúde. Ilustração de Adriana Alves.

Camille Lichotti

[Abrindo a torneira, p. 52] é repórter da piauí. Fotografia de Ricardo Borges.

Victor Calcagno

[Romance de geração, p. 64] é repórter e mestrando no programa de pós-graduação em literatura, cultura, e contemporaneidade da PUC-Rio, onde pesquisa a relação entre ensaísmo e reportagem.

Clara Drummond

[Os coadjuvantes, p. 68], jornalista e escritora, é autora dos romances A Festa É Minha e Eu Choro Se Eu Quiser (Guarda-Chuva) e A Realidade Devia Ser Proibida (Companhia das Letras). O texto é um trecho do livro Os Coadjuvantes, a ser lançado em abril pela Companhia das Letras. Ilustração de Antonio Simas Xavier.