=igualdades

Recreio teve mais que o dobro de casos de posse de drogas que Copacabana e mais que o triplo de Ipanema

Hellen Guimarães e Renata Buono
19fev2021_17h55

O número de registros de posse de drogas explodiu na 42ª DP (Recreio) em 2020: foram 501, fazendo a delegacia disparar na liderança desse indicador no ano da pandemia. A segunda delegacia com mais casos no Rio teve menos da metade: foi a 12ª DP (Copacabana), com 200. Em seguida, vem a 13ª DP (Ipanema), com 149 registros. A análise dos dados mostra que, enquanto os registros de tráfico predominam nos bairros mais pobres, os de posse de drogas explodem nas localidades mais privilegiadas do Rio.

No ano passado, quase todas as regiões da cidade tiveram queda no total de ocorrências de tráfico. Ainda assim, a 34ª DP (Bangu) manteve a liderança, com 178 casos, seguida por 25ª DP (Engenho Novo), com 90; 39ª DP (Pavuna), com 87; 21ª DP (Bonsucesso), com 76; 5ª DP (Mem de Sá), com 75 casos.

As primeiras da Zona Sul, 12ª DP (Copacabana) e 14ª DP (Leblon) vêm logo atrás, com 57 ocorrências cada. Assim como em 2019, a Zona Oeste registrou os menores números: a 41ª DP (Tanque) teve quatro casos, enquanto a 36ª DP (Santa Cruz) e a 43ª DP (Guaratiba) tiveram seis registros cada.

Fonte: ISP-RJ

Hellen Guimarães (siga @HellenGuimaraes no Twitter)

Repórter da piauí. Trabalhou em O Globo, Extra, Época e Agência Lupa

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

A linha cruzada de Max

Como um empurrão de Flávio Bolsonaro ajudou a minúscula telecom do dono da Precisa Medicamentos – e por que a Xis está no jogo bilionário do 5G

Cinemateca Brasileira em chamas – II

Foi preciso um fogaréu para comover quem ignorou o abandono da instituição

Garras olímpicas

Mais presentes nos pódios brasileiros do que em edições passadas, unhas decoradas também são parte da história dos jogos

A noite mais fria, na capital mais fria

As histórias de quem vive nas ruas geladas de Curitiba  - e por que muitos ainda recusam acolhimento nos abrigos públicos

Mais textos