Igualdades

Epidemia de prisões

Luigi Mazza e Renata Buono
10jun2019_08h05

Em 1990, um a cada 1.666 brasileiros estava preso. Hoje, essa proporção é de um a cada 292. Em menos de trinta anos, a população carcerária do Brasil se multiplicou por oito, impulsionada, em parte, por um aumento significativo nas prisões por tráfico de drogas – que se equiparou ao roubo como crime mais comum nas cadeias brasileiras. Sobram presos, faltam presídios e condições adequadas: para cada vaga do sistema penal, há quase dois presos.

Em abril deste ano, havia mais de 715 mil presos no Brasil, segundo levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Isso é três vezes o efetivo do Exército Brasileiro atualmente na ativa.

Para cada pessoa matriculada em cursos de graduação em medicina no Brasil, há quase cinco presidiários

Um em cada três presos no Brasil ainda aguarda julgamento – ou seja, é preso provisório. Há duas vezes mais presos nessa condição (246,2 mil) do que alunos matriculados em cursos de doutorado no Brasil (114,9 mil).

A taxa de encarceramento no Brasil é duas vezes maior que no México: enquanto um a cada 292 brasileiros está preso, um a cada 604 mexicanos está na mesma condição.

Dez anos atrás, os crimes de roubo eram a principal causa de prisões no Brasil. Para cada pessoa presa por tráfico de drogas, havia duas presas por roubo. Hoje, a proporção é de um para um. Isso porque, na última década, o número de presos por tráfico de drogas mais que dobrou: passou de 63,2 mil em 2007 para 156,6 mil em 2016.

A população carcerária do estado de São Paulo (237,1 mil) é três vezes maior que a da Argentina (76,2 mil), embora a população total de paulistas seja igual à de argentinos.

Para cada vaga em estabelecimentos penais no Brasil, há quase dois presos. Em Pernambuco, estado com a maior taxa de superlotação, há três presos para cada vaga.

A probabilidade de encontrar alguém contaminado pelo vírus HIV em presídios é três vezes maior que fora deles.

Fontes: Conselho Nacional de Justiça (CNJ); Ministério da Defesa; Ministério da Educação; Departamento Penitenciário Nacional (Depen); Instituto Nacional de Estadística y Geografía (Inegi); Sistema Argentino de Información Juridica (SAIJ); Ministério da Saúde.

Luigi Mazza (siga @LuigiMazzza no Twitter)

Repórter da piauí e produtor da rádio piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

Seis conclusões sobre o modelo do mundo sem a Amazônia 

O preço que o Brasil e o mundo pagarão caso a floresta continue a ser derrubada para dar lugar à pecuária

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Domingo – um dia especial

Filme paga preço alto ao ser lançado agora, quando expectativa de “nova era” se mostrou ilusória

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

Maria Vai Com as Outras #5: Crime e castigo contra a mulher

Uma socióloga e uma defensora pública falam dos efeitos que a violência tem na vida profissional das mulheres

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

Mais textos
1

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

2

Fala grossa e salto fino

As façanhas de Joice Hasselmann, do rádio ao Congresso

3

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

5

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

6

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

7

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

8

Letra preta

Os negros na imprensa brasileira

9

Moro em queda livre

Ministro e seu pacote anticrime perdem espaço no governo, no TCU e no Twitter

10

A volta do concurso literário mensal da piauí

Além da frase “Eduardo, meu filho, esse hambúrguer é orgânico?” o texto de outubro deve ter o seguinte ingrediente improvável: 'Oswaldo Montenegro'