=igualdades

Estresse entre pessoas recuperadas da Covid-19 se traduz em problemas para dormir e perda de cabelo

Plínio Lopes e Renata Buono
22jul2021_10h01

Depois de se recuperarem da Covid-19, pelo menos um terço (30%) das pessoas têm insônia ou dificuldade para dormir. E uma em cada cinco pessoas (20%) relataram queda de cabelo que continuou por vários dias depois da infecção. É o que mostra uma revisão sistemática de estudos científicos de todo mundo feita por cientistas americanos. Alguns destes sintomas podem durar por mais de três meses.

Os pesquisadores ainda não sabem se é o próprio vírus que causa esses sintomas, se é o estresse acumulado depois de ter se recuperado da doença que vitimou tantas pessoas ou se é uma mistura de ambos – mas sabem que isso acontece e que afeta a qualidade de vida e a recuperação dos pacientes. Estudos mais aprofundados sobre as causas destes sintomas devem ser publicados em breve e vão ajudar a jogar uma luz nessas questões.

Fonte: Artigo de Nasserie et al na revista científica Journal of the American Medical Association.

Plínio Lopes (siga @Plluis no Twitter)

Repórter freelancer, trabalhou na Agência Lupa e é especializado em jornalismo de dados e fact-checking

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

Foro de Teresina #160: Arenão toma poder dos militares

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

A cannabis vai à Olimpíada

Canabidiol deixa a lista de substâncias associadas ao doping e atrai o interesse de atletas

Dinamite cinematográfico do Sri Lanka

Uma incursão ao cinema srilanquês e a subserviência da Ancine ao governo

Controlando o tempo do impeachment

Presidente da Câmara pensa que pode, mas não tem poder de ignorar acusações contra o presidente da República por prazo a perder de vista

Como dois e dois são cinco

Duas tevês, dois celulares e cinco alunos que desaprenderam: a rotina, os temores e os sonhos de uma família após um ano de ensino remoto por causa da Covid

Mais textos