maratona piauí cbn de podcast

Executivos do setor falarão sobre gestão e modelos de negócio para podcast

Carlos Merigo, diretor da B9, e Ricardo Gandour, diretor executivo da CBN, são os convidados da mesa

29abr2019_23h29

Na penúltima mesa da Maratona Piauí CBN de Podcast dois executivos do setor falarão sobre gestão e modelos de negócio para podcast.

Carlos Merigo é pioneiro na área, deixou o mundo das agências de publicidade para abrir o portal Brainstorm 9, no qual investiu em parceria, produção e divulgação de podcasts. Hoje, alguns desses produtos estão entre os mais ouvidos do país.

Ricardo Gandour, diretor executivo da CBN,  pode falar do lugar de veterano, já falará de sua experiência a partir do rádio, a versão de programa em áudio mais antiga que existe. A Rádio CBN já tem credibilidade, alcance e audiência nas principais cidades do país, e hoje tem como um dos desafios compartilhar o público da sua programação do dial com seus produtos que são distribuídos exclusivamente online, e ainda fazer isso sem perder o interesse de investidores e possíveis patrocinadores.

As experiências de negócios dos dois convidados da mesa são diferentes, mas podem convergir em estratégias e no fim buscam o mesmo objetivo: fazer de um podcast financeiramente sustentável e, se possível, lucrativo.



Esse encontro será mediado por Branca Vianna, fundadora da Rádio Novelo e apresentadora do podcast Maria Vai com as Outras, da Rádio Piauí.

Leia Também

Relacionadas Últimas

Maratona piauí CBN de podcasts em maio

Representantes de podcasts de jornalismo se encontram em evento no Rio de Janeiro

Dados podem revelar a origem da audiência e a preferência por temas e formatos

Marcia Cavallari, CEO do Ibope, e Greice Matos, da rádio CBN, analisaram os resultados de uma pesquisa inédita

Marketing, redes sociais e tocadores serão pautas da segunda mesa do evento

Juliana Wallauer, do Mamilos, Ivan Mizanzuk, do AntiCast, e Paulo Vinícius Lima, do marketing da Rádio CBN são os convidados da mesa

Acompanhe a transmissão ao vivo da segunda Maratona Piauí CBN de Podcast

Encontro está sendo transmitido em áudio e em vídeo nos sites e redes sociais da piauí e da CBN

A história e os bastidores do Foro de Teresina

Apresentadores relembram início do programa, que completa um ano esta semana

Conteúdo patrocinado e anunciantes estão entre os principais modelos de financiamento

Diretor da CBN diz que programas em áudio são caminho para formar novos ouvintes

Interação com o público ajuda a ganhar e manter audiência

Fidelidade de ouvintes pode se transformar em financiamento coletivo e ajudar a manter podcasts

Os desafios e a rotina de contar histórias em podcast

Roteiro capaz de amarrar narrativas é segredo para um bom programa; dificuldade de financiamento é cotidiana

Mais textos
3

Por que as crianças gostam de Valtidisnei

De como me perdi de minha família ao ver Pinocchio, fui parar num reformatório, e a reencontrei numa sessão de Bambi

4

Carbonos do pop

Falsos gringos e indústria cover no lado B da canção brasileira

6

A baleia branca de Rodolfo Landim

O ex-executivo de Eike Batista julga ser responsável por parte considerável do sucesso empresarial do homem mais rico do Brasil. Agora, com a obstinação de quem não gosta de perder nem pelada, parte para buscar o que considera seu

7

A morte e a morte do Capitão América

Baudrillard, o franco-atirador da teoria de que tudo é ilusão, mandou o Capitão América desta para a pior

9

Para voltar à mídia, Aécio Neves adota 12 beagles

POSTO 12 - Escanteado do debate sucessório depois da polarização entre Dilma Rousseff e Marina Silva, Aécio Neves resolveu adotar 12 beagles resgatados do Instituto Royal. "Um partido que tem um tucano como símbolo é o verdadeiro defensor dos povos das florestas e dos bichos fofinhos", explicou Aécio, com um dos animaizinhos no colo, assegurando-se de que todos os beagles que levou para casa são fêmeas.

10

Por que i-piauí Herald não reproduz rumores sobre a vida privada de autoridades

Há alguns dias, correm rumores (sinistros e espantosos) sobre a vida privada de determinadas autoridades da República. Apesar de não ter nenhuma base material tangível, tais rumores foram reproduzidos por numerosos órgãos de imprensa estrangeiros, notadamente do Paraguai, do Togo e de Burkina Fasso. Foi o que bastou, infelizmente, para que publicações da auto-cognominada “grande imprensa”, insensatamente, repetissem o zunzunzum.