Festival Piauí GloboNews de jornalismo

Ginna Morelo e o jornalismo investigativo na Colômbia

A jornalista Ginna Morelo, que trabalha no jornal El Tiempo, em Bogotá, participou da segunda conversa do Festival Piauí Jornalismo 2016. Paula Scarpin, repórter da Piauí, e Veronica Goyzueta, ABC Espanha, foram as mediadoras.

08out2016_16h04

A jornalista Ginna Morelo, que trabalha no jornal El Tiempo, em Bogotá, participou da segunda conversa do Festival Piauí Jornalismo 2016. Paula Scarpin, repórter da Piauí, e Veronica Goyzueta, ABC Espanha, foram as mediadoras.

Morelo escreveu sobre crimes cometidos por paramilitares no interior da Colômbia – o que lhe valeu prêmios, mas também uma terrível lembrança: uma de suas fontes foi assassinada depois da publicação da matéria. Ajudou a coordenar a série de reportagens sobre desaparecidos no México e na Colômbia, em colaboração com o jornal mexicano El Universal, um trabalho investigativo reconhecido pelo maior prêmio de jornalismo de língua espanhola, o Ortega y Gasset. Ela é  autora dos livros Tierra de Sangre: Memorias de las Víctimas e Córdoba: Una Tierra que Suena, sem tradução para o português.

No começo de sua carreira, Morelo escrevia para um pequeno jornal de província chamado El Meridiano de Córdoba. Foi responsável por uma grande investigação sobre o confisco de terras pelos paramilitares e as tentativas conturbadas de restituí-las aos donos. Em alguns casos, seu próprio pai atuava como seu motorista. “Alguns jornalistas trabalham com escolta na Colômbia. Eu sempre me neguei. Também não me sentia segura com a polícia, infelizmente”. E fez uma consideração: “Falta muita consciência dos meios de comunicação sobre os protocolos de segurança a serem seguidos”.

Quando Gildardo Padilla, uma fonte confiável da jornalista que já tinha perdido onze parentes vítimas da violência, foi assassinado, Gina ficou nove meses afastada do trabalho. Só aceitou voltar à atividade quando o jornal El Tiempo a convidou para ser editora de dados da publicação.

O plebiscito colombiano, em que a população votou contra o acordo de paz com as Farc, se tornou um assunto muito presente. “Nos últimos dois anos, tive a missão de andar por diferentes regiões e passar pelo coração das Farc na Colômbia. Cada vez que nós visitávamos esses lugares, nós encontrávamos um país dividido. Eu não esperava o ‘não’, mas o temia”, disse Morelo.

O presidente Juan Manuel Santos, que mediou o acordo, ganhou o Prêmio Nobel da Paz. “Eu acho que o prêmio Nobel deveria ser dado às vítimas”, ponderou Morelo. “Vínhamos de uma sucessão de negociações falidas. A história colombiana tem episódios de desarmamento que não deram certo”.

Leia Também

Últimas Mais Lidas

Acompanhe a transmissão ao vivo da segunda Maratona Piauí CBN de Podcast

Encontro está sendo transmitido em áudio e em vídeo nos sites e redes sociais da piauí e da CBN

A história e os bastidores do Foro de Teresina

Apresentadores relembram início do programa, que completa um ano esta semana

Conteúdo patrocinado e anunciantes estão entre os principais modelos de financiamento

Diretor da CBN diz que programas em áudio são caminho para formar novos ouvintes

Interação com o público ajuda a ganhar e manter audiência

Fidelidade de ouvintes pode se transformar em financiamento coletivo e ajudar a manter podcasts

Os desafios e a rotina de contar histórias em podcast

Roteiro capaz de amarrar narrativas é segredo para um bom programa; dificuldade de financiamento é cotidiana

Mais textos
1

Prejuízo em cacho

Petrobras enterra centenas de milhões de reais em projeto de  biocombustível a partir do dendê – que não produziu nem um litro de óleo

2

O império de Isabel

Como a filha do ex-presidente de Angola aproveitou o poder político do pai para, com empresas de fachada e informações privilegiadas, se tornar a mulher mais rica da África

4

O radical

Como Roberto Alvim faz teatro

7

Como o dinheiro desviado de Angola veio parar na Paraíba 

Inquérito da PF obtido pela Pública acusa político próximo do ex-presidente angolano José  Eduardo dos Santos e sua filha Isabel dos Santos de lavar dinheiro de corrupção no Nordeste

8

Foro de Teresina #84: Ascensão evangélica, Democracia em Vertigem e a Aliança pelo Brasil

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

9

Dois empresários paulistas contam por que estimulam Bolsonaro

Fundador da Tecnisa e dono de empresa de monitoramento de mídia marcam encontros entre pré-candidato e comunidade judaica de São Paulo. “Apoio quem seja contra a esquerda”, resume incorporador

10

Memória desarmada

Diretora de Democracia em Vertigem retira armas de foto histórica e abre discussão sobre alteração de imagens em documentários