=igualdades

Guerra às drogas: Gastos de RJ e SP financiariam educação de 75 mil universitários por um ano

Hellen Guimarães e Renata Buono
02abr2021_13h05

Juntos, Rio de Janeiro e São Paulo gastaram R$5,2 bilhões na guerra às drogas em 2017. Naquele ano, o valor seria suficiente para financiar a educação de 75 mil alunos na Uerj e na USP, as duas maiores universidades geridas pelos dois estados.

Em 2017, o governo do Rio investiu R$ 32,8 mil em cada um dos estudantes da Uerj. O R$ 1 bilhão empregado na guerra às drogas financiaria um ano da educação de 32 mil alunos, o que quase dobraria o total de matriculados que a universidade tinha naquele momento (36.402).

Já o custo médio de um aluno da USP foi de R$ 97,6 mil. Os R$ 4,2 bilhões aplicados pelos paulistas na guerra às drogas poderiam custear a educação de 43 mil universitários, um aumento de 70% em relação ao que a USP tinha àquela altura (62.547).

Fonte: Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec)/ Universidade Cândido Mendes (Ucam)



Hellen Guimarães

Repórter da piauí. Trabalhou em O Globo, Extra, Época e Agência Lupa

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

Bolsonaros cumprem quarentena

Enquanto o presidente sabota medidas para frear o coronavírus no país, seus parentes se beneficiam do lockdown em Eldorado, no interior paulista

Isolamento militar

Exército contrariou negacionismo de Bolsonaro, exigiu máscara, impôs distanciamento contra a Covid - e isso custou cargo a general

Foro de Teresina #145: Com fome, com sufoco, com tudo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Combate à corrupção exige democracia

Após extinção da Lava Jato, procuradores da força-tarefa no Rio fazem balanço, apontam erros e dizem que trabalho não acabou 

“Temos de cobrar dos governos vacina e informação”

Pesquisador da Universidade de Vermont faz sucesso ensinando como usar máscaras PFF2

Lei fura fila da vacina

Projeto que estimula vacinação privada divide o país entre quem tem direito e quem tem “mais direito”

Mais textos