The Piauí Herald The Piauí Herald

Por Roberto Kaz e Afonso Cappellaro (sob a supervisão do jornalista Olegário Ribamar)

Cabral exige passe livre para Paris

20jun2013_15h46

CINELÂNDIA – Numa semana atípica, em que estava de passagem pelo Rio, o governador Sergio Cabral se mostrou animado com a diminuição do preço do ônibus, das barcas e do metrô e decidiu engrossar a onda de manifestações. “Ninguém aguenta mais o preço da ponte aérea Rio–Paris. A mobilidade é um direito fundamental da população e está gravemente ameaçada pelo lucro pornográfico das companhias aéreas”, escreveu em seu mural no Facebook. Os prefeitos do Rio, Eduardo Paes, e de São Paulo, Fernando Haddad, curtiram e compartilharam o desabafo. Mais cauteloso, Geraldo Alckmin prometeu criar uma linha direta entre Pindamonhangaba e Miami a preços populares. “Vamos apertar os cintos para realizar esse antigo sonho da alma paulista”, discursou o governador.

Com um lenço cobrindo o rosto, Cabral comandou na noite de ontem a invasão do escritório da Air France no Rio. Em seguida, os manifestantes picharam as paredes e saquearam a adega do Olympe, restaurante do chef Claude Troisgros. “Não é só pelas 20 mil milhas, é por direitos”, gritava o governador.

Surpreendido com a ampliação das manifestações, Arnaldo mudou de ideia sobre Jabor: “O Rio vive um momento glorioso. Um banquinho, um violão, a revolução”, suspirou.

No ar ao vivo, o colunista Merval Pereira não precisou de bombas de gás lacrimogêneo para dispersar seus comentários: “Esse vinho não harmoniza com vandalismo”, disse, ao condenar os excessos durante as manifestações contra a alta dos preços na região de Bordeaux.

Leia também:

FIFA aumenta o preço dos ingressos em 20 centavos

Eike Batista vence licitação para reconstrução da Alerj

Em Paris, Alckmin diz que manifestantes são bobos, chatos e feios

Operação policial intercepta 200 litros de vinagre

Arquivo
  • 2021
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.