Após espionar Galvão Bueno, agente da CIA pede asilo na Venezuela

10jul2013_14h32

AREA 51 – Desnorteado e confuso, o agente Watson Kojak foi internado numa clínica de repouso nesta manhã após passar as duas últimas semanas espionando a correspondência do narrador Galvão Bueno. "Eu não aguento mais! Quero asilo na Venezuela… Me levem para Caracas ou para a Mesopotâmia", murmurou, catatônico, vestindo uma camisa de força com a foto de Hugo Chávez estampada.

Companheiros da CIA relataram que o agente resistiu bravamente a sucessões diárias de ufanismo exacerbado, bordões cabalísticos, longas conversas com Reginaldo Leme e gracejos que humilhavam Arnaldo Cézar Coelho. "Mas ele surtou durante a interceptação de uma conversa telefônica entre Galvão e Renato Maurício Prado. Foi demais", relatou um espião do piauí Herald. "Watson Kojak entrou em estado de choque ao interceptar uma ligação na qual Galvão dizia à sua mulher que havia convidado Rrrrrronaaaaaaaaaaldo para o jantar", completou o espião.

No final da tarde, Edward Snowden divulgou documentos que comprovam que Hulk é um agente infiltrado pela NSA na seleção brasileira e revelou uma notícia alarmante: "A CIA descobriu que o Fluminense pulou da Terceira para a Primeira Divisão em 2000", relatou.

Leia também

CIA não consegue decodificar correspondência de Djavan

Lei Geral da Copa proíbe jogos narrados por Galvão Bueno

Galvão Bueno comemora aumento na tarifa de ônibus

Arquivo
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.