Júlio César chora compulsivamente ao saber que Aloysio Nunes será vice de Aécio

01jul2014_14h15

CRECHE COMARY – Abalada emocionalmente, a seleção brasileira não recebeu bem a notícia de que Aloysio Nunes será o vice de Aécio Neves. "Com essa chapa, a gente não derrota nem o Eduardo Campos nos pênaltis", lamentou David Luiz, enquanto consolava o companheiro Thiago Silva que permanecia estático, à espera de um convite para chorar no Caldeirão do Huck.

A delegação tentou poupar o goleiro Júlio César, que repousa, incomunicável, ao som de Mozart desde a noite de sábado. "Com sua sensibilidade, o goleiro pressentiu uma energia atravessada e ligou para mãe. Quando soube da notícia, chorou compulsivamente por quarenta minutos. Tivemos que hipnotizá-lo", contou Hulk, o jogador, que não fica verde desde fevereiro.

Felipão tomou medidas enérgicas: encomendou centenas de unidades de McLanche Feliz, 30 toneladas de funchicória e contratou os serviços de Patati e Patatá. A preleção, que provoca muita tensão desnecessária, será substituída pela exibição de um episódio dos Teletubbies. "É muito pedagógico e relaxante", disse o assessor de imprensa Rodrigo Paiva, antes de morder o microfone.

No final do dia, a seleção ficou sabendo que o Orkut acabou. O abalo foi geral. Todos os jogadores estão trancados em seus quartos, com exceção de Thiago Silva, que medita no centro do gramado da Granja Comary. Num gesto ousado, a CBF convocou Galvão Bueno e Patrícia Poeta, pelo equilíbrio e sabedoria, para explicar ao elenco que a vida também é feita de frustrações.

Leia a cobertura completa sobre a Copa do Mundo pelo piauí Herald

The Tourist Herald, um guia de viagem padrão Fifa, apresenta as cidades-sede para os turistas 

Arquivo
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.