Sininho compra bomba de chocolate e é condenada à prisão perpétua

16jul2014_15h12

TERRA DO NUNCA – Detida por comprar fogos de artifício, a elemento Elisa Quadros, codinome Sininho, acaba de ser enquadrada em novos crimes. "Repórteres fantasiados de caipira flagraram a terrorista comprando estalinhos em uma Festa Junina", denunciou O Globo. No site do jornal, um vídeo exibia um perito da polícia demonstrando a eficiência dos explosivos atirando-os no chão. Pá, pá, pá – eram muito impressionantes as explosões. "Esses estalinhos têm alto grau de periculosidade e podem ser letais", explicou o policial, mascarado.

Em paralelo, o Serviço Nacional de Intuição (SNI) exibiu uma nota fiscal da Pane D’Oro Padaria e Confeitaria para comprovar que a vândala encomendou uma bomba de chocolate. "Com recheio extra!", bateu na mesa o major Anacleto Paranhos da Costa e Silva, e completou, enquanto encomendava 200 gramas de coxinha: "Temos provas suficientes para condená-la à prisão perpétua ou à fogueira, sem essa boiolice de julgamento".

Policiais militares fizeram uma batida na casa de Sininho e encontraram vestígios de cocada branca, um pé de moleque e artefatos para a preparação de coquetéis de morango com chantilly.

Em resposta, uma manifestação reuniria centenas de jovens na Praça Saens Peña para exigir prisão preventiva dos candidatos ao governo do Rio. Mas todos foram presos preventivamente.

Leia também

PM prende preventivamente cinco técnicos de futebol que pretendiam assumir a seleção

Maioria dos eleitores quer candidato estrangeiro em 2014

Beltrame anuncia UPP na PM

Arquivo
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.