Otimista com a Bovespa, Ku Klux Klan prepara IPO

03out2018_18h27
Otimista, a Bovespa prevê que o dólar caia dez centavos a cada insulto homofóbico de Bolsonaro
Otimista, a Bovespa prevê que o dólar caia dez centavos a cada insulto homofóbico de Bolsonaro

SÃO PAULO, ALABAMA – “A gente já estava de olho no Brasil desde que nosso social media nos alertou que aqui as pessoas riem usando ‘kkk’. Quando detectamos essa nova onda de preconceito, ficou claro que o investimento nesse mercado seria inevitável.” A frase, que serviu de abertura ao memorando publicado hoje pelo Ku Klux Klan – o grupo norte-americano de supremacistas brancos – marcou também a chegada do conglomerado racista à Bolsa de Valores de São Paulo. “A euforia do mercado financeiro com uma possível eleição de Jair Bolsonaro nos mostra que temos no Brasil o ambiente ideal para a nossa abertura de capital”, continuou o texto do memorando.

“O Brasil pode trazer uma cara (branca) nova ao nosso movimento. Uma alegria, uma descontração, um racismo-arte, um racismo-moleque, que agrega muito para a nossa marca”, explicou o CEO da empresa, que talvez não fosse o CEO, já que usava o mesmo capuz que o estagiário. “E aqui na Bovespa a gente tem a segurança institucional que toda empresa de bem precisa. É aquela velha garantia de que os papéis vão valorizar, mesmo que a democracia seja torturada.”

Com o mercado aquecido, algumas corretoras de valores já criaram pacotes para o novo investidor. São os chamados “Planos Míticos”, que aglutinam ações de fabricantes de armas, companhias funerárias e a gravadora que detém os direitos musicais do senador Magno Malta. “Nós estamos estudando também a criação dos ‘Planos de Fuga’, que consistiria em papéis ligados a companhias aéreas, imóveis no exterior e, claro, laboratórios especializados em tranquilizantes. Pra gente é o que chamamos de uma ‘win-win situation’, kkk”, disse por meio de mensagem um analista ligado a uma famosa broker house da Avenida Faria Lima.