Urna eletrônica contrata marqueteiros para melhorar sua imagem

07out2018_17h39
Os marqueteiros sugeriram camuflar as urnas ou instalar um jogo de arminha nelas para agradar os eleitores de Bolsonaro
Os marqueteiros sugeriram camuflar as urnas ou instalar um jogo de arminha nelas para agradar os eleitores de Bolsonaro FOLHAPRESS

BLADE RUNNER – A Associação Brasileira das Urnas Eletrônicas anunciou a contratação de um marqueteiro para melhorar a imagem do aparato, que vem sendo tripudiada pelos eleitores do ex-capitão Jair Bolsonaro. “É uma falta de respeito para com a classe das urnas e, obviamente, para com a democracia”, diz um memorando publicado pelo grupo. “Temos 20 anos de vida pública, 20 anos em que elegemos presidentes à esquerda e à direita, 20 anos em que permanecemos com a ficha mais limpa do que comercial de alvejante.”

A contratação de um marqueteiro já vinha sido aventada desde que a urna eletrônica começou a ter sua reputação contestada pelo candidato (que foi eleito deputado, através do sistema eletrônico, em cinco ocasiões). Tornou-se urgente neste domingo, depois que eleitores de Bolsonaro passaram a intimidar urnas de todo o Brasil, apontando armas para elas enquanto votavam.

As ameaças sofridas pelas urnas causaram repúdio em computadores internacionais. A nota mais contundente veio dos Estados Unidos, onde vive o computador Deep Blue, famoso por ter derrotado o russo Garry Kasparov num jogo de xadrez, 21 anos atrás. “Se eles apontam a arma para uma reles urna eletrônica, que não fala, não pensa, não se mexe e quase não faz barulho, imagina o que são capazes de fazer com um robô que tenha inteligência artificial”, declarou a máquina, por telefone. “O Brasil tem ficado um lugar muito perigoso para qualquer computador com mais de dois processadores.”