Bolsonaro tira internet e tiro ao alvo do filho por duas semanas

23out2018_15h24
Para compensar o castigo, Bolsonaro prometeu que vai levar o filhão para um campo de tiro à petralhada a partir do próximo ano
Para compensar o castigo, Bolsonaro prometeu que vai levar o filhão para um campo de tiro à petralhada a partir do próximo ano

PORÃOZINHO DO CASTIGO – “O Eduardinho é jovem e jovem às vezes fala besteira. Já reprimi, falei duro, botei de castigo. Mas antes um filho queimando juiz do que um filho queimando a rosca.” A frase foi dita por Jair Bolsonaro, durante uma live no Facebook em que o candidato repreendeu o filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro, um adolescente de 34 anos que sugeriu fechar o Supremo Tribunal Federal “com um soldado e um cabo”. “A frase tá gravada em vídeo? Tá. O vídeo tem 90 minutos? Tem. Mas foi tirada de contexto. Pra entender a brincadeira do Eduardo, a imprensa tinha que ter acompanhado toda a vida dele nesses 34 anos. Mas isso a Globo não faz, né?”

Como punição, Bolsonaro explicou que o filho vai ficar sem atirar e sem usar a internet por duas semanas, “começando depois da eleição”. “Se quiser usar o WhatsApp vai ter que pedir pro irmão, no caso o Carlos, porque o Flávio também está sem, por outra razão aí”, continuou.

A punição severa foi vista com bons olhos dentro da campanha de Bolsonaro. O candidato a vice-presidente na chapa do PSL, General Mourão, comentou em coletiva a industriais: “Essa geração de hoje é assim, fala muito sem precisar, porque está sempre escondida atrás do telefone celular. Na minha época esse tipo de aviso era dado cara a cara, sem aviso prévio. A gente ia e fechava o STF mesmo. O menino não sabe disso, mas vai melhorar depois desse tempo de solitária”.