Bolsonaro se livra de Flavio após conselhos de Marie Kondo

23jan2019_18h41
Fontes indicam que Onyx Lorenzoni não tem conseguido dormir com medo de que Bolsonaro resolva descartá-lo
Fontes indicam que Onyx Lorenzoni não tem conseguido dormir com medo de que Bolsonaro resolva descartá-lo

DAVOS UNS AOS OUTROS – “Eu abri o WhatsApp, achei minha última conversa com o Flávio. Aí apertei o telefone contra o peito, vi que aquilo me fazia mal, e resolvi jogar o Zero Um fora.” Foi com essa frase que o presidente Jair Bolsonaro explicou a decisão de se livrar do seu filho mais velho, Flávio Bolsonaro, que vinha contaminando o governo federal com suas peripécias envolvendo um motorista, uma personal trainer, 48 depósitos bancários e, desde ontem, um miliciano.

A ideia de jogar Flávio fora foi apresentada a Bolsonaro pela maga japonesa da arrumação, Marie Kondo, a quem o presidente encontrou hoje de manhã, durante sua estadia em Davos. “Foi por sugestão dela também que resolvi não falar com a imprensa. Apertei uma foto do Boris Casoy contra o peito, e vi que ela me fazia bem. Mas o Boris não tava lá. Aí resolvi apertar a última edição da Folha de S.Paulo, e quase tive um infarto. Aquela coletiva não me traria alegria.”

Os conselhos da especialista em organização pessoal também afetaram outros membros do entourage de Bolsonaro. Pelo Twitter o presidente anunciou que pretende organizar um bazar em que vai se desapegar de outros itens que não têm lhe trazido bons sentimentos. Entre as ofertas estão o ex-senador Magno Malta, o deputado eleito Kim Kataguiri, a comitiva do PSL que foi à China e o bom senso em geral.