Moro declara guerra a Bebianno: “Vazar áudio de presidente era minha especialidade”

20fev2019_17h05
“Bebianno, te desafio para um duelo. Aloka! Brincadeira, nos vemos nos tribunais”, afirmou o ministro Sergio Moro em coletiva
“Bebianno, te desafio para um duelo. Aloka! Brincadeira, nos vemos nos tribunais”, afirmou o ministro Sergio Moro em coletiva /FOTO: MARCELO CHELLO_CJPRESS_FOLHA PRESS

BESSIAS – Depois de desbancar o astronauta brasileiro Marcos Pontes como o primeiro ministro a ir para o espaço, Gustavo Bebianno ganhou um segundo desafeto na Esplanada dos Ministérios. A notícia foi dada hoje pela manhã, pelo porta-voz do governo, o General Rêgo Barros, numa coletiva de imprensa feita por meio de 17 áudios de WhatsApp.”O governo federal está muito decepcionado com a petulância do ex-ministro da Secretaria-Geral de Governo, Gustavo Bebianno”, declarou. “Em Brasília, todos sabem que a prerrogativa de vazar áudio de presidentes sempre foi uma exclusividade do juiz Moro.”

A reprimenda foi endossada pelo Sindicato dos Arapongas da Polícia Federal, o SinAra, que organizou uma passeata em frente ao Palácio do Planalto para protestar contra a perda de empregos causada pelos vazamentos. “Onga,/ Onga,/ Orgulho Araponga!”, gritavam os policiais, lembrando que, nos últimos anos, uma equipe de 2 mil homens havia escutado cada ligação dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer. “Para onde vai essa massa desassistida agora que o Bebianno faz todo o nosso trabalho?”, perguntou, chorando, um agente da Federal. “É mais um caso da tecnologia tirando o emprego do homem.”

Procurado pela reportagem, Bebianno respondeu, também via WhatsApp: “Kkkkk, eu tentei falar com o Moro antes, mas o telefone só dava Caixa Postal 2!”. Em postagem criptografada através de emojis, o ex-ministro ameaçou ir além com os vazamentos, divulgando as mensagens de bom dia do grupo do PSL.

Arquivo
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.